Make your own free website on Tripod.com

MENSAGENS FINAIS

QUEM SOMOS

NISTO CREMOS

ESTUDOS

JUDICIAIS

CARTAS

 Tudo que EGW Escreveu Sobre o Dízimo e Nunca Contaram Para Você!

 

Se a Sra. White ressuscitasse hoje certamente se espantaria com o alto grau de beatificação que a liderança aplicou à sua pessoa. Eles a transformaram numa espécie de Ave Maria adventista. Canonizaram seus escritos e lhe deram atributos que ela nunca requisitou para si.

Por isso, antes que algum deles apareça usando seus escritos como a última palavra sobre a temática do dízimo, seria bom atentar, irmão, para alguns detalhes importantes. Ela mesmo diz que devemos pôr à Bíblia em primeiro lugar e que seus conselhos são apenas uma luz menor indicando o fulgor da luz maior. Ora, se a Bíblia não abona a doutrina do dízimo conforme ensinada hoje em nosso meio, como poderemos colocar Ellen White acima da Bíblia?

Em 1861, na edição de 9 de Abril da Revista Review and Herald, página 164, Tiago White escreveu o seguinte: “Nós não desejamos que o sistema israelita de dízimos seja adotado como uma obrigação para os crentes da terceira mensagem angélica. Este sistema foi necessário ao plano de Deus para os sacerdotes levitas; mas a mensagem final clama por alguma coisa longe deste padrão”. Este é um texto coerente com a orientação bíblica do dízimo. Dízimo ficou para trás. Coisa para judeus do velho concerto!

Em 1876 D M Canright, que mais tarde abandonou a fé adventista, escrevendo para a mesma revista,faz um apelo para que os adventistas adotem o plano de dízimos para sustentar o ministério baseando-se em Malaquias 3:8-11. (Review and Herald, 17 fevereiro de 1876, pp 50,51). A sugestão foi aceita! Isto valida a doutrina em nosso meio?

Se Ellen White vivesse em nossos dias testemunhando o institucionalismo glacial em que se transformou o movimento adventista será que ela mesma não mudaria suas instruções sobre dízimos? 

UM TEXTO POLÊMICO DE ELLEN WHITE SOBRE O DÍZIMO

Um texto polêmico de Ellen White abre brechas para várias interpretações sobre o assunto do dízimo. Numa carta escrita em 22 de Janeiro de 1905 ao pastor G. F. Watson presidente da Associação do Colorado, ela afirma que administrava seus próprios dízimos e ainda elogia quem fazia o mesmo. Esta carta foi publicada na revista Ministério de Set-Out/99 pp21,22:

“Tem-me sido apresentado durante anos que meu dízimo deveria ser utilizado por mim mesma para auxiliar pastores, brancos e negros que foram negligenciados e não receberam o suficiente para sustentar suas famílias. Quando me foi chamada atenção para os ministros idosos, brancos ou negros, era minha obrigação especial investigar sobre suas necessidades e supri-las. Essa era minha obrigação e tenho feito isso em vários casos. Ninguém deveria dar notoriedade ao fato de que em ocasiões especiais o dízimo é usado desse modo.

Quanto à obra entre os negros do Sul, aquele campo tem sido e ainda está sendo desposado dos meios que deveriam ir para os obreiros daquele campo. Se tem havido casos em que nossas irmãs têm utilizado o seu dízimo para o sustendo dos ministros que trabalham pelos negros do Sul, que cada homem, se for sábio, fique calado.

Eu mesma tenho utilizado meu dízimo para os casos de maior necessidade trazidos ao meu conhecimento. Tenho sido instruída a fazer isso; e como o dinheiro não é retirado do tesouro do Senhor, não é assunto sobre o qual se deva comentar, pois seria necessário que eu tornasse conhecidos estes assuntos, o que não desejo fazer, por não ser o melhor.

Alguns casos têm sidos colocados diante de mim por anos, e tenho suprido suas necessidades com o dízimo, conforme Deus me tem instruído a fazer. E se qualquer pessoa me disser: Irmã White, a senhora utilizaria o meu dízimo para empregá-lo onde é mais necessário?` eu direi: ´sim, o farei; e tenho feito isso. Louvo a essas irmãs que tem destinado seu dízimo aos locais mais carentes para ajudar a fazer uma obra que está sendo neglicenciada, e se for dada publicidade a este assunto, criar-se-á uma prática que seria melhor que se evitasse. Não me preocupo em dar publicidade a esta obra que o Senhor me indicou, bem como a outros, a fazer.

Estou tratando deste assunto para que você não cometa um erro. As circunstâncias alteram os casos. Eu não aconselharia ninguém a tornar um hábito juntar o dinheiro do dízimo e não devolvê-lo aos cofres da igreja. Mas durante anos tem havido de vez em quando pessoas que perderam a confiança na utilização do dízimo e o tem colocado em minhas mãos, afirmando que se eu não aceitasse, elas mesmas o utilizariam para as famílias dos ministros mais necessitados que pudessem encontrar. Eu tenho levado o dinheiro, dando-lhes um recibo, e tenho dito a essas pessoas como o dinheiro foi aplicado.”

Depois de ler a Carta a Watson, podemos observar que:

1)      A Sra White nunca disse que a “Casa do Tesouro” eram os cofres das associações ou uniões. Tanto é verdade que nesta época (1905) ela mesmo administrava seus próprios dízimos e de outrem  destinando-os diretamente para onde achava melhor.

2)      Ela disse que Deus indicou a ela e a outras pessoas que deveriam agir assim. Ela nunca escreveu uma  carta condenando o grupo que não confiava nos canais oficiais da Obra e insistiam em entregar-lhe seus dízimos para que ela os administrassem e os destinassem conforme achasse melhor.

3)      Aqueles que dizem que naquela época não existia um plano de aposentadoria para os obreiros velhos e por isso ela precisou enviar dinheiro do dízimo às famílias necessitadas argumentam também que hoje a organização adventista está mais estruturada não havendo mais necessidade de desviar dinheiro da “Casa do Tesouro”. Entretanto, Ellen White está dizendo que  “circunstâncias alteram casos”. O mal uso do dinheiro justificou esta administração particular dos dízimos dela e de suas amigas. São nossos dízimos hoje utilizados de forma adequada e justa?

4)      Os dizimistas adventistas usam um pequeno trecho desta carta onde diz “eu não aconselharia ninguém a tornar um hábito juntar o dinheiro do dízimo e não devolvê-lo aos cofres da igreja” para dizer que ninguém (somente Ellen White e suas amigas ) está autorizado a reter seus dízimos. Porém, lendo todo o parágrafo notamos que após esta afirmação vem um “mas”. “Mas durante anos tem havido de vez em quando pessoas que perderam a confiança na utilização do dízimo e o tem colocado em minhas mãos”. Ou seja, não é para fazer mas muitos o fazem porque as circunstâncias alteram casos.

OUTROS TEXTOS DE ELLEN WHITE ALUSIVOS AO TEMA

Não devemos dar ouvidos aos administradores da obra

1) “Deus não vos obriga a perguntar à Associação ou a qualquer concílio de homens se deveis usar vossos meios conforme vedes apropriado ser para o avanço da Obra de Deus em cidades  e localidades destituídas de recursos, e lugares empobrecidos. Este exatamente é o esquema que tem sido seguido, uma grande quantidade de recursos não deveria ter sido usada em algumas localidades, enquanto tão pouco foi usada  em outros lugares onde o estandarte da verdade ainda não foi erguido. Não devemos imergir nossa individualidade de decisão sob qualquer instituição em nosso mundo. Devemos buscar a sabedoria de Deus, como fez Daniel.” Ela continua a dizer: “ Podemos nós individualmente compreender nossa verdadeira posição,  de que como servos de Deus assalariados não estamos aqui para negociar com a administração; mas que diante do universo celestial nós devemos administrar a verdade a nós confiada? Nossos próprios corações devem ser santificados, nossas mãos devem ter algo para dar conforme a ocasião exigir as rendas que Deus nos confiou”. (Pamphlets in the Concordance, Volume II, p. 467).

2) “Deus me mostrou que as vozes que tem sido tão rapidamente levantadas para dizer que todos o dinheiro investido na Obra deve vir dos canais apontados por Battle Creek, não devem ser ouvidas. As pessoas a quem Deus tem dados Seus recursos estão subordinadas a Ele somente. É privilégio deles darem auxílios e assistência diretamente às missões”. (Spalding-Mangan´s Unpublished Manuscript Testimonies of Ellen G. White, p. 217).

3) “A sabedoria divina tem abundantes lugares nos quais trabalhar. É para avançar sem pedir permissão ou apoio daqueles de tem dados a eles mesmos o PODER. No passado um grupo de homens tentaram manter em suas próprias mãos o controle de todos os recursos vindo das igrejas e usaram estes recursos da maneira mais desapropriada, erigindo edifícios custosos onde grandes construções eram desnecessárias e não solicitadas, e deixando lugares necessitados sem ajuda e estímulo...  Por anos a mesma rotina, o mesmo “jeito regular” de trabalhar tem sido seguido, e a Obra de Deus tem sido grandemente retardada. Os planos mesquinhos que tem sido aplicados por aqueles que não tinham lucidez e decisões santificadas resultaram numa demonstração que não é aprovada por Deus. Deus nos chama para uma reforma e reavivamento. As “linhas regulares” não tem feito a obra que Deus deseja ver realizada. Deixe a reforma [e] o reavivamento fazerem as contínuas mudanças... Permita que todos os jugos sejam quebrados. Deixe os homens serem estimulados para as realizações que eles têm como responsabilidades individuais” (Ibid, pp. 174 – 176). 

4) “Quando nós percebermos que as linhas regulares estão inalteradas, purgadas e refinadas, e o modelo do Deus do céu está acima das linhas regulares, então é nossa obrigação organizar as linhas regulares. Mas quando nós vemos, mensagem após mensagem que Deus tem dado serem aceitas, mas nenhuma mudança acontecer, exatamente o mesmo como antes, então é evidente que um sangue novo deve ser introduzido às linhas regulares”. (Remarks at a meeting held in Battle Creek College Library, General Conference, April 1901, Ibid., p. 162.)

Não devemos nos submeter à arbitrariedade dos administradores

5) "Uma grande crise está prestes a vir sobre vós. Se homens submetem-se a homens, como tem sido feito nos últimos quinze anos, perderão eles suas almas e seu exemplo levará outros a se desviarem" - LETTER 4, 1896, pp.13,15,16. 

6) "Deus proíbe que homens exerçam jurisdição arbitrária sobre a mente de seus irmãos" - LETTER 380, 1907. "O homem que não tem visão e idéias abertas é inadequado para ser presidente de uma Associação ou um líder entre o povo de Deus" LETTER 276, 1907, pp. 1,2. "Os presidentes de associações estão imbuídos de um espírito de domínio que exige a submissão dos homens ante seu julgamento; se alguém se recusar é tão perseguido que enche o Céu de indignação. Como Deus pode mover as igrejas para contribuir com seus parcos recursos para serem administrados por homens egoístas, auto-suficientes e tão arrogantes e autoritários que atraem o desagrado de Deus sobre eles? Nossas instituições necessitam de limpeza, assim como o Templo, quando Jesus esteve na Terra. O homem governa sobre a consciência dos homens, o homem dita as regras para seus semelhantes como se fossem Deus... A reação deve vir e quem então colocará as coisas em ordem?" LETTER 65, 1865, pp. 7, 8.

Cuidado com a ditadura. Dominadores e dominados irão para o inferno!

7) “Tal poder que tem se desenvolvido como se as posições transformassem homens em deuses, amedronta-me e deve causar apreensão onde quer que se exerça tal tipo de conduta. Esse domínio sobre a herança de Deus provocará tal repulsa nos subordinados que resultará em um estado de revolta. As pessoas estão aprendendo que os homens que ocupam posições elevadas não podem dirigir e moldar a mente e o caráter de outros homens. O espírito de domínio está se estendendo até os presidentes de nossas associações. Se um homem ansioso de exercer seus poderes procura dominar sobre seus irmãos, achando que foi investido de autoridade para fazer de sua vontade o poder dominante, o melhor e único rumo seguro é removê-lo, para que não haja mal maior e ele perca sua alma e ponha em perigo a alma de outros" LETTER 55, 1895.

8) "O Senhor nada tem a ver com os métodos de trabalho onde se permitem a homens finitos dominar sobre seus irmãos. Ele apela para que uma decisiva mudança seja feita. A voz de comando não mais deve ser ouvida. O Senhor tem, entre Seus obreiros, homens humildes e discretos; deve-se escolher entre estes, homens que conduzirão a obra no temor do Senhor" LETTER 290, 1907, pp.2 e 3.

9) "É obra perigosa investir homens de autoridade para julgar e governar seus irmãos. Nem vós, nem algum outro homem recebeu poder para controlar as ações do povo de Deus, e os esforços para isso não devem mais prosseguir... Deus jamais autorizou qualquer homem a exercer poder dominador sobre seus coobreiros." LETTER 290, 1907, pp. 2 e 3

10) "Por muitas vezes tenho repetido a advertência; não coloqueis jamais como presidente de uma Associação um homem que supõe que tal posição lhe conferirá poder para dominar e controlar a consciência de outros... O obreiro que, diariamente, subordina sua vontade à de Cristo, não admitiria tal idéia." LETTER 416, 1907, PP. 5,6.

11) “O espírito de domínio está se estendendo até os presidentes de nossas associações... A disposição de mandar sobre a herança de Deus causará reação, a menos que esses homens mudem de atitude." TESTEMUNHOS PARA MINISTROS E OBREIROS EVANGÉLICOS, p. 362 “Como me dói o coração ao ver os presidentes de associações darem-se ao trabalho de escolher aqueles que eles julgam amoldar para com eles trabalhar no campo! Pegam os que dele não divergirão, que agirão como meras máquinas. Nenhum presidente tem o direito de fazer isto. Deixai que os outros planejem; e se em algumas coisas falharem, não tomeis isso como evidência de que não estão habilitados a pensar." Testemunhos para Ministros e Obreiros Evangélicos, p. 304.

Pergunta-se:

Se já há quase 100 anos atrás estas mensagens já eram convenientes, que aconteceria se a Sra White ressuscitasse hoje e contemplasse o estado atual de nossa igreja? Ela mesmo não previu que a reação viria e que um estado de revolta (no bom sentido) se instalaria à medida que os adventistas sinceros fossem tomando conhecimento dos fatos administrativos que nos distanciam cada vez mais da verdadeira missão? Quando este sangue novo surgirá? Quando começaremos a limpeza que ela sugere?  

O QUE FAZER COM AS APARENTES CONTRADIÇÕES ENTRE OS ESCRITOS DA SRA WHITE E A BÍBLIA?

ELLEN WHITE AFIRMA QUE ABRAÃO ERA DIZIMISTA

"Como fez Abraão, eles devem pagar dízimos de todas as suas posses e de todas as suas rendas” (Counsels on Stewardship, page 66, paragraph 40)

A BIBLIA NÃO AFIRMA QUE ABRAÃO ERA DIZIMISTA

Abraão nunca pagou dízimos de suas rendas mas das posses dos outros. A Bíblia afirma que Abraão deu o dízimo “tirado dos despojos”de guerra. (Hebreus 7:4 e Gênesis 14 – Leia o artigo “Abraão e o Dízimo”)

ELLEN WHITE AFIRMA QUE PRIMÍCIAS É IGUAL A “O PRIMEIRO”

“O Senhor não somente reivindica o dízimo como Seu, mas nos diz como deve ser reservado. Ele diz: ´Honra ao Senhor com a tua fazenda e com as primicias de toda a tua renda.` (Prov 3:9). Isto não nos ensina que devemos gastar nossos meios conosco mesmos e trazer ao Senhor as sobras, mesmo sendo um dízimo honesto. A porção de Deus deve ser colocada a parte primeiro” (R. & H., Feb. 4, 1902). [O sentido aqui é ordem: primeiro, segundo, terceiro, etc]

A BÍBLIA AFIRMA QUE PRIMÍCIAS É IGUAL A “O MELHOR”

O termo “primícias” em Provérbios 3:9 significa “o melhor” e não “o primeiro”. O termo original  hebraico traz uma conotação de qualidade e não de seqüência ou ordem. Tanto é verdade que A Bíblia na Linguagem de Hoje traduziu este texto assim: “Adore a Deus, oferecendo-lhe o que a sua terra produz de melhor.” [Qualidade: cada um contribua segundo o seu coração, com alegria, com satisfação”]

O VOTO DE JACÓ NOS OBRIGA DIZIMAR

“O voto feito por Jaco em Bethel mostra a extensão da obrigação. Ele disse: ´E de tudo que me deres, certamente te darei o dízimo” (Education, page 138, paragraph 3) 

Extensão da obrigação? Pode o voto de uma pessoa passar a ser uma extensão de obrigação para outros? Para toda a cristandade?

 

O VOTO DE JACÓ NÃO OBRIGA DIZIMAR

Se Jacó fez um voto obviamente ele não era um dizimista. Voto é voto. É propor algo novo a Deus na busca de uma melhor experiência espiritual. Como pode alguém votar  algo que já faz parte de sua rotina. Jacó àquela altura nunca tinha pago nenhum dízimo a Deus. Resolveu então melhorar sua experiência religiosa fazendo um voto. O voto de Jacó passou a ser uma obrigação para Jacó e não para os cristãos do mundo inteiro.

O CAPÍTULO 3 DE MALAQUIAS ABONA OS DÍZIMOS CONFORME ENSINADO HOJE

“O dízimo é sagrado, reservado por Deus para Ele mesmo. É para ser trazido ao Seu tesouro para ser usado no sustento dos que trabalham no evangelho. .. Leia o capítulo 3 de Malaquias cuidadosamente e veja o que Deus diz acerca dos dízimos” (Testemonies Vol 9 249 (1909).

O CAPÍTULO 3 DE MALAQUIAS NÃO ABONA OS DÍZIMOS CONFORME ENSINADO HOJE

Lendo o capítulo 3 de Malaquias cuidadosamente aprenderemos que o contexto nada tem a ver com a doutrina do dízimo conforme ensinada hoje em nossas igreja. (Leia o capítulo “Roubará o Homem a Deus?”)

O NOVO TESTAMENTO NÃO FALA DO SÁBADO, NEM DO DÍZIMO

“O Novo Testamento não ordena a lei do dízimo, como também não o faz com o Sábado, pois pressupõe a validade de ambos, e explica sua profunda importância”. (Last Day Events, page 78, paragraph 4)

O NOVO TESTAMENTO FALA DO SÁBADO, MAS NÃO FALA DO DÍZIMO

Primeiro Ellen White admite que o Novo Testamento não ordena o dízimo e o compara ao sábado. Entretanto o Novo Testamento está repleto de passagens sobre o sábado. Além do mais o mandamento do sábado está esculpido na Lei Moral o que não acontece com o dízimo da lei cerimonial.

OS DÍZIMOS DEVEM CUSTEAR SACERDOTES  E SACERDOTISAS

“O dízimo deve ir para aqueles que trabalham com a Palavra e a Doutrina, sejam eles homens ou mulheres” (Manuscript 149, 1899.)

OS DÍZIMOS DEVEM CUSTEAR APENAS SACERDOTES HOMENS

Em nenhum lugar a Bíblia diz que os dízimos poderiam sustentar mulheres (sacerdotisas levitas).

A  LEI CERIMONIAL NÃO ACABOU

“As reivindicações de Deus são imperativas, não devemos somente dar a Sua porção dos dízimos, mas oferecer-Lhe ofertas pelos pecados e ofertas de gratidão”. (Testemonies Vol4, p. 467). “O melhor que tu podes fazer é trazer uma oferta pelo pecado ao altar do Senhor e Ele te aceitará e te perdoará” (Special Testimonies to Ministers and workers, p. 339)

A LEI CERIMONIAL ACABOU

O apóstolo Paulo diz claramente que a lei cerimonial caducou na cruz. Estamos sob a regência do Novo Concerto e não precisamos trazer nenhum tipo de oferta pelos pecados para sermos perdoados. Tão pouco pagar dízimos. Aliás, nos textos ao lado ficou muito bem a citação dizimista unida às especificações das ofertas pois ambos (ofertas e dízimos) estão enquadrados na lei cerimonial.

O QUE FAZER COM AS APARENTES CONTRADIÇÕES CONTIDAS NOS PRÓPRIOS ESCRITOS DA SRA WHITE?

AS EMERGENCIAS JUSTIFICAM UTILIZAR DÍZIMOS PARA OUTROS FINS

“Há casos excepcionais, onde a pobreza é tão extrema que a fim de assegurar o mais humilde lugar de adoração pode ser necessário utilizar o dízimo”. (Manuscript Releases, Vol. I- pag.189)

NUNCA DEVEMOS USAR  OS DÍZIMOS PARA OUTROS FINS MESMO EM EMERGENCIAS

“Não se deve utilizar o dinheiro do dízimo para suprir despesas incidentais da igreja” (An Appeal for Missions, page 24, paragraph 2)

EM 1896 A SRA WHITE DIZ QUE OS DÍZIMOS NÃO PODERIAM SER ADMINISTRADOS PELO DIZIMISTA

“Que ninguém se sinta na liberdade de reter o seu dízimo para usar segundo seu próprio discernimento. Não devem usá-lo para si mesmos em uma emergência, nem aplicá-lo como acham conveniente, mesmo no que possam considerar com sendo a obra do Senhor” (Counsels on Stewardship, page 101, paragraph 1 - 1896)

“O dízimo, diferente das ofertas voluntárias, não é  controlado pelos critérios de quem está dando” (The Early Elmshaven Years Volume 5 1900-1905, page 391, paragraph 7) 

EM 1905 ELA  DECLARA QUE ESTAVA ADMINISTRANDO SEUS DÍZIMOS  E ELOGIA AS IRMÃS QUE FAZIAM O MESMO

“Eu mesma tenho utilizado meu dízimo para os casos de maior necessidade trazidos ao meu conhecimento... Alguns casos têm sidos colocados diante de mim por anos e tenho suprido suas necessidades com o dízimo... louvo a essas irmãs que tem destinado seu dízimo aos locais mais carentes para ajudar a fazer uma obra que está sendo neglicenciada” (Carta a Watson, 1905 - Spalding and Magan Collection, p. 215, 216)

“Mas durante anos tem havido de vez em quando pessoas que perderam a confiança na utilização do dízimo e(...)elas mesmas o utilizariam para as famílias dos ministros mais necessitados que pudessem encontrar.” (Idem)

ELLEN WHITE APROVA A COBRANÇA DE UM SEGUNDO DÍZIMO

“A questão tem sido levantada: não poderia o segundo dízimo ser utilizado para sustentar o trabalho das escolas paroquiais?” Ela responde que sim: “Não poderia ser utilizado para propósito melhor” (Manuscript Releases Volume Seven, page 138, paragraph 2 -Ms 67, 1901, p. 5. - "The Church School," July 29, 1901.)

ELLEN WHITE DESAPROVA A COBRANÇA DE UM SEGUNDO DÍZIMO

“Quando ouvi pela primeira vez sobre este movimento achei que funcionaria, mas eu te digo, que pela luz que me tem sido dada outros planos terão que ser feitos  melhores que o plano de sustentar escolas com o segundo dízimo” (Letter 103, 1905, p. 5. (To E. S. Ballenger, April 7, 1905.)

Que opção faremos? Ficaremos com a Bíblia que desabona completamente a doutrina do dízimo conforme ensinada hoje em nosso meio ou insistiremos em continuar apresentando textos do Espírito do Profecia para os quais encontramos dificuldades de conciliação, contradições e incoerências ente si?

Desobedecer as orientações sobre dízimos do Espírito de Profecia não deve ser tão grave assim pois muitas outras orientações não são cumpridas nem defendidas ao pé da letra pelos líderes do povo do advento, embora as ordens saiam da mesma pena inspirada!

Ou teríamos de criar novas listas de proibições e opiniões humanas como as dos fariseus do tempo de Cristo?

Quem obedece fielmente os Testemunhos:

  • Não come carne de espécie alguma. (Conselhos sobre Regime Alimentar p.388)

  • Não envia filhos menores de 8 anos para a escola.

  • Não faz seguros de vida. (Testimonies, Vol. 1, p. 549)

  • Não joga cartas, xadrez ou damas. (Testimonies, Vol. 1, p. 514)

  • Não usa alianças de ouro (casados). (Special Testimony to Ministers and Workers, No.3, 1895).

  • Não usa medicamentos. (Testimonies, Vol. 5, p. 311)

  • Não pratica esportes. (Testimonies, Vol. 8, p. 65)

  • Não deixa de dar o dízimo do Velho Testamento.

  • Etc, etc, etc...

Podemos escolher quais conselhos seguir e quais rejeitar? Por que nos ensinam que podemos desobedecer alguns e desobedecer outros? Novamente perguntamos: se a Bíblia não abona a doutrina do dízimo conforme ensinada hoje em nossas igreja como podemos colocar Ellen White acima da Bíblia?

Esta declaração da própria Sra. White nos parece apontar o melhor caminho a seguir: “Quando a Palavra de Deus for estudada, compreendida e obedecida, uma luz brilhante se refletirá sobre o mundo; novas verdades, recebidas e postas em práticas ligar-nos-ão em fortes laços... Ergamos o estandarte no qual está escrito: A Bíblia, nossa regra de fé e disciplina.(Mensagens Escolhidas, Vol I, p. 416.) - Paulo Gomes do Nascimento, Formado em Teologia pelo IAE-SP.

Leia também:

 

HOME