Make your own free website on Tripod.com

MENSAGENS FINAIS

QUEM SOMOS

NISTO CREMOS

ESTUDOS

JUDICIAIS

CARTAS

 

“Primeiro a erva, depois a espiga”

 

Versículo a memorizar: “Mas assim que o fruto amadurecer, logo lhe mete a foice, porque é chegada a ceifa.” Mc 4:29.

 

Estudo adicional: Parábolas de Jesus, pág. 62-69.

Lição das Escrituras: Mc 4:1-34.



SÁBADO, O DIA DO SENHOR - Introdução

“A planta não germina, não cresce, nem produz frutos para si mesma, mas para "dar semente ao semeador, e pão ao que come". Isa. 55:10. Igualmente ninguém deve viver para si mesmo. O cristão está no mundo como representante de Cristo para a salvação de outros.” Parábolas de Jesus, pág. 67.

1º DIA DA SEMANA - “A semente brotasse e crescesse”

1 – Como explicou Cristo o crescimento que tem de ter lugar na vida de um Cristão? Mc 4:31-32.

NOTA: “O desenvolvimento da planta é uma bela figura do crescimento cristão. Como ocorre na natureza, assim é na graça; não pode haver vida sem crescimento. A planta precisa crescer ou morrer. Como seu crescimento é silencioso e imperceptível, mas constante, assim é o desenvolvimento da vida cristã.” Parábolas de Jesus, pág. 65.

“O verdadeiro crescimento cristão tende a subir até à completa estatura de homens e mulheres em Cristo. A verdadeira cultura, o refinamento real de ideias e maneiras, é melhor atingido aprendendo lições na escola de Cristo, do que pelos esforços mais penosos e árduos para observar formas e regras, quando o coração não se acha sob a disciplina do Espírito de Deus. O seguidor de Cristo deve-se aperfeiçoar constantemente em maneiras, hábitos, espírito e trabalho. Isso se opera conservando o olhar, não somente nas realizações exteriores e superficiais, mas em Jesus. Opera-se uma transformação na mente, no espírito e no carácter. O cristão é educado na escola de Cristo, para nutrir as graças de Seu Espírito em toda a mansidão e humildade. Está-se habilitando para a sociedade dos anjos celestiais.” Obreiros Evangélicos, pág. 283.

2 – Qual é a medida do crescimento Cristão? Ef 4:13-15.

NOTA: “Grande, solene obra é obter aptidão moral para a sociedade dos puros e dos bem-aventurados. ... Unicamente pela conformação com a Palavra de Deus podemos esperar chegar à "medida da estatura completa de Cristo". Efés. 4:13. Mas assim é preciso, do contrário nunca entraremos no Céu. Sem pureza ou santidade de coração, não podemos ganhar a coroa de glória imortal. A vida da alma não pode ser mantida, excepto pelo devido exercício das afeições em direcção ao Céu, a Cristo, a Deus. O arrependimento e a fé em Cristo para perdão dos pecados, é essencial, mas não tudo quanto é requerido. ... A vida do cristão apenas começou agora. Ele precisa... prosseguir "até a perfeição". Heb. 6:1. Ele precisa levar cativo todo pensamento à obediência de Cristo. Se cremos em Jesus, gostaremos de pensar nEle, de nEle falar e de orar-Lhe. Ele é supremo em nossas afeições. Amamos aquilo que Cristo ama, e aborrecemos aquilo que Ele aborrece.... A vida cristã não chega nunca a uma parada. É, precisa ser, progressiva. Nosso amor por Cristo deve-se tornar cada vez mais forte.” Nossa Alta Vocação, pág. 336.

SEGUNDA-FEIRA - “Assim o Senhor Deus fará brotar a justiça e o louvor”

3 – Como descreve a Bíblia o processo do crescimento Cristão? Is 61:11.

NOTA: “Nossa vida pode ser perfeita em cada fase de desenvolvimento; contudo haverá progresso contínuo, se o propósito de Deus se cumprir em nós. A santificação é obra de toda uma vida. Multiplicando-se as oportunidades, ampliar-se-á nossa experiência e crescerá nosso conhecimento. Tornar-nos-emos fortes para assumir as responsabilidades, e nossa maturidade será proporcional aos nossos privilégios.” Parábolas de Jesus, pág. 65, 66.

“"A lei do Senhor é perfeita e refrigera a alma."” Sal. 19:7. Mediante a obediência vem a santificação do corpo, alma e espírito. Esta santificação é um processo progressivo e uma subida de um nível de perfeição para outro.” Minha Consagração Hoje, pág. 250.

4 – Que exemplo deu Jesus do crescimento Cristão? Lc 2:52.

NOTA: “Tem-se "primeiro, a erva, depois, a espiga, e, por último, o grão cheio na espiga". Mar. 4:28. Aquele que deu esta parábola, criou a tenra semente, deu-lhe as propriedades vitais e ordenou as leis que lhe governam o crescimento. E as verdades que ensina a parábola tornaram-se uma viva realidade em Sua própria vida. Tanto em Sua natureza física como na espiritual, obedecia à ordem divina do crescimento, ilustrada pela planta, como deseja que todo adolescente faça. Embora fosse a Majestade do Céu, o Rei da glória, tornou-Se uma criancinha em Belém e, durante algum tempo, representou o indefeso menino sob os cuidados da mãe. Na infância, procedia como criança obediente. Falava e agia com a sabedoria de criança e não de homem, honrando os pais, e cumprindo-lhes os desejos em coisas úteis, de acordo com sua aptidão infantil. Mas, em cada fase de Seu desenvolvimento, era perfeito, com a graça simples e natural de uma vida inocente. De Sua infância diz o relatório sagrado: "E o Menino crescia e Se fortalecia em espírito, cheio de sabedoria; e a graça de Deus estava sobre Ele." Luc. 2:40. E de Sua juventude, é narrado: "E crescia Jesus em sabedoria, e em estatura, e em graça para com Deus e os homens." Luc. 2:52.” Parábolas de Jesus, pág. 82-83.

TERÇA-FEIRA - “Chuva, tanto a temporã como a tardia”

5 – Que processo inicia o crescimento Cristão? Jl 2:23. (Compare Is 55:10-11)

NOTA: “Mas a menos que a chuva temporã haja caído, não haverá vida; a ramagem verde não brotará. Se a chuva temporã não fizer seu trabalho, a serôdia não desenvolverá a semente até a perfeição. Deve haver "primeiro, a erva, depois, a espiga, e, por último, o grão cheio na espiga". Mar. 4:28. Deve haver um desenvolvimento constante das virtudes cristãs, um avanço constante na experiência cristã. Isso devemos nós buscar com intenso desejo, para que possamos adornar a doutrina de Cristo, o nosso Salvador. Muitos têm em grande medida deixado de receber a chuva temporã. Não têm obtido todos os benefícios que Deus assim para eles tem provido. Esperam que as falhas sejam supridas pela chuva serôdia. Quando a maior abundância da graça estiver para ser outorgada, esperam poder abrir o coração para recebê-la. Estão cometendo um erro terrível. O trabalho que Deus começou no coração humano mediante Sua luz e conhecimento, deve estar continuamente avançando. Cada indivíduo deve estar cônscio de sua própria necessidade. Deve o coração ser esvaziado de toda a mancha, purificado para habitação do Espírito. Foi pela confissão e pelo abandono do pecado, por meio de fervorosa oração e da entrega pessoal a Deus, que os discípulos se prepararam para o derramamento do Espírito Santo no dia de Pentecostes. O mesmo trabalho, apenas em grau mais elevado, deve ser feito agora. Então o agente humano só teve de pedir a bênção e esperar que o Senhor aperfeiçoasse a obra a seu respeito. Foi Deus que começou a obra, e Ele terminará Sua obra, tornando o homem perfeito em Jesus Cristo. Mas não se deve negligenciar a graça representada pela chuva temporã. Só os que estiverem vivendo de acordo com a luz que têm recebido poderão receber maior luz.” Testemunhos Para Ministros e Obreiros Evangélicos, pág. 506-507.

6 – O que irá preparar o Cristão para a colheita? Zc 10:1. (Compare At 2:17-18)

NOTA: “A chuva serôdia, amadurecendo a seara da Terra, representa a graça espiritual que prepara a igreja para a vinda do Filho do homem. Mas a menos que a chuva temporã haja caído, não haverá vida; a ramagem verde não brotará. Se a chuva temporã não fizer seu trabalho, a serôdia não desenvolverá a semente até a perfeição. Embora acariciemos as bênçãos da primeira chuva, não devemos, do outro lado, perder de vista o fato de que sem a chuva serôdia, para encher a espiga e amadurecer o grão, a colheita não estará pronta para a ceifa, e o trabalho do semeador terá sido em vão. Necessita-se da graça divina no começo, da graça divina em cada passo de avanço; só a graça divina pode completar a obra. "Pedi ao Senhor chuva no tempo da chuva serôdia." Zac. 10:1. Não fiqueis satisfeitos, pensando que no decorrer normal da estação a chuva cairá. Pedi-a. O crescimento e a perfeição da semente não repousa sobre o lavrador. Só Deus pode amadurecer a colheita. Mas se exige a cooperação do homem. A obra de Deus por nós exige a acção de nossa mente, o exercício de nossa fé. Devemos buscar-Lhe os favores de todo o coração, se queremos alcançar os chuveiros da graça. Devemos aproveitar toda a oportunidade de nos colocarmos no conduto da bênção. Cristo disse: "Onde estiverem dois ou três reunidos em Meu nome, aí estou Eu no meio deles." Mat. 18:20. As convocações da igreja, como nas reuniões campais, as assembleias da igreja local, e todas as ocasiões em que há trabalho pessoal em favor das almas, são oportunidades determinadas por Deus para dar tanto a chuva temporã como a serôdia.” Testemunhos Para Ministros e Obreiros Evangélicos, pág. 506-508.

QUARTA-FEIRA - “O precioso fruto da terra”

7 – Qual é o fruto que Cristo está à procura na vida dos Cristãos? Gl 5:22-23.

NOTA: “O trigo desenvolve-se "primeiro, a erva, depois, a espiga, e, por último, o grão cheio na espiga". Mar. 4:28. O objectivo do lavrador no lançar a semente e na cultura da planta crescente é a produção de cereal. Deseja pão para os famintos, e semente para futuras searas. Assim espera o Lavrador divino uma colheita como recompensa de Seu trabalho e sacrifício. Cristo procura reproduzir-Se no coração dos homens; e faz isto por intermédio daqueles que nEle crêem. O objectivo da vida cristã é a frutificação - a reprodução do carácter de Cristo no crente, para que Se possa reproduzir em outros. A planta não germina, não cresce, nem produz frutos para si mesma, mas para "dar semente ao semeador, e pão ao que come". Isa. 55:10. Igualmente ninguém deve viver para si mesmo. O cristão está no mundo como representante de Cristo para a salvação de outros.” Parábolas de Jesus, pág. 67.

8 – Que colheita vai ser igualmente vista nas vidas das pessoas e que aviso nos é dado acerca daqueles que manifestam este tipo de fruto? Gl 5:19-21.

NOTA: “"Tudo o que o homem semear, isso também ceifará." Gál. 6:7. Eu quero semear para o tempo e a eternidade. Meu coração tem fome e sede de justiça. Quero que minha vida se esconda em Cristo Jesus, para que minha semeadura me traga a boa espécie de colheita. Preocupo-me muito com o meu próprio caso, pois cada dia, em palavras ou acções, semeio - ou joio ou trigo. Quero semear para o tempo e a eternidade. Já quase vivi o prazo que me foi concedido, e qual será a colheita? Desejo uma quieta e inabalável confiança no Altíssimo. Tenho experimentado de maneira notável Seu cuidado protector, quando sigo o caminho do dever. Quero descer à sepultura como um feixe de trigo bem maduro. Não quero abrigar queixas no coração; que nele habite apenas gratidão. A misericórdia e benignidade de Deus devem ser tidos, não como coisa ausente, mas como algo tão precioso que jamais se esqueça.” Para Conhecê-Lo, pág. 353.

QUINTA-FEIRA - “O semeador saiu a semear”


9 – Como é descrito o trabalho do testemunho Cristão? Mc 4:14.

NOTA: “A obra do semeador é uma obra de fé. Poderá ele não compreender o mistério da germinação e do crescimento da semente. Todavia, tem confiança nos instrumentos pelos quais Deus faz a vegetação florescer. Lançando a semente à terra, desperdiça aparentemente o precioso cereal, que podia fornecer pão para sua família. Mas somente renuncia a um bem presente, em troca de uma devolução maior. Espalha a semente, esperando recolhê-la multiplicada numa colheita abundante. Assim devem agir os servos de Cristo, aguardando a colheita da semente lançada à terra.” Parábolas de Jesus, pág. 64-65.

10 – Que outro símbolo é usado para este trabalho de serviço Cristão? Tg 5:7.

NOTA: “"Eis que o lavrador espera o precioso fruto da terra, aguardando-o com paciência, até que receba a chuva temporã e serôdia." Tia. 5:7. Assim deve o cristão aguardar com paciência a frutificação da Palavra de Deus em sua vida. Muitas vezes Deus nos atende as orações, quando Lhe pedimos as graças do Espírito, levando-nos a circunstâncias que desenvolvem estes frutos; mas não compreendemos Seu propósito, assombramo-nos e desanimamos. Mas ninguém pode desenvolver estas graças, a não ser pelo processo de crescimento e frutificação. Nossa parte é receber a Palavra de Deus e conservá-la, rendendo-nos inteiramente à sua direcção, e será realizado em nós seu propósito.” Parábolas de Jesus, pág. 61.

“O grande concerto de Deus declara: "Enquanto a Terra durar, sementeira e sega, ... não cessarão." Gên. 8:22. Confiante nesta promessa o lavrador ara e semeia. Com não menos confiança devemos labutar na sementeira espiritual, confiantes em Sua declaração: "Assim será a palavra que sair da Minha boca; ela não voltará para Mim vazia; antes, fará o que Me apraz e prosperará naquilo para que a enviei." Isa. 55:11. "Aquele que leva a preciosa semente, andando e chorando, voltará sem dúvida, com alegria, trazendo consigo os seus molhos." Sal. 126:6.” Parábolas de Jesus, pág. 65.

11 – Quem dá a colheita do trabalho da semeadura? 1Co 3:6-7.

NOTA: “A planta cresce recebendo o que Deus provê para sustentar-lhe a vida. Aprofunda as raízes no solo. Absorve o sol, o orvalho e a chuva. Áureas propriedades vitalizantes do ar. Assim deve crescer o cristão, cooperando com os agentes divinos. Sentindo nosso desamparo, devemos aproveitar todas as oportunidades que se nos deparam, para ganhar uma experiência mais rica. Como a planta enraíza-se no solo, devemos também arraigar-nos profundamente em Cristo. Como a planta recebe o sol, o orvalho e a chuva, também devemos abrir o coração ao Espírito Santo. A obra deve ser feita "não por força, nem por violência, mas pelo Meu Espírito, diz o Senhor dos Exércitos". Zac. 4:6. Se conservarmos a mente firmada em Cristo, "Ele a nós virá como a chuva, como chuva serôdia que rega a Terra". Osé. 6:3. Como o Sol da Justiça levantar-se-á sobre nós, trazendo salvação "debaixo das Suas asas". Mal. 4:2. Floresceremos "como o lírio". Osé. 14:5. Seremos "vivificados como o trigo", e floresceremos "como a vide". Osé 14:7. Confiando constantemente em Cristo como nosso Salvador pessoal, cresceremos em tudo nAquele que é a cabeça.” Parábolas de Jesus, pág. 66-67.

SEXTA-FEIRA - “A seara da terra está madura”

12 – Quem amadurece a seara da terra? Ap 14:14-16. (Compare Mt 24:31)

NOTA: “"Quando já o fruto se mostra, mete-lhe logo a foice, porque está chegada a ceifa." Mar. 4:29. Cristo aguarda com fremente desejo a manifestação de Si mesmo em Sua igreja. Quando o carácter de Cristo se reproduzir perfeitamente em Seu povo, então virá para reclamá-los como Seus. Todo cristão tem o privilégio, não só de esperar a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, como também de apressá-la. (II Ped. 3:12.) Se todos os que professam Seu nome produzissem fruto para Sua glória, quão depressa não estaria o mundo todo semeado com a semente do evangelho! Rapidamente amadureceria a última grande seara e Cristo viria recolher o precioso grão.” Parábolas de Jesus, pág. 69.

13 – Que conselho nos dá Cristo? Jo 4:35-36.

NOTA: “Como povo, possuímos uma grande luz. Oh, estejamos despertos para os propósitos de Deus e para as nossas responsabilidades individuais! Então utilizaríamos todos os nossos dons e cada talento na obra de transmissão, ao mundo, da verdade para este tempo. O número de obreiros aumentaria grandemente e a obra cresceria em influência e extensão. O que devemos dizer, o que podemos dizer para elevar aqueles que conhecem a verdade, tanto ministros como membros leigos, para que sintam as suas responsabilidades? Como podem eles ser levados a sentir o fardo de comunicar a outros a verdade que Deus lhes confiou? As trevas cobriram a mundo e trevas ainda maiores cobriram o povo. Homens e mulheres necessitam da luz do mundo. O povo de Deus deve ser portador de luz, brilhando entre as trevas desta degenerada época. Todos os que conhecem a verdade deviam sentir-se impressionados com a importância da transmissão deste conhecimento aos outros.” Pacific Union Recorder, 28 Agosto 1902.

 

Arquivo.Doc - Versão para Impressão

Voltar para o ÍNDICE

HOME