Make your own free website on Tripod.com

MENSAGENS FINAIS

QUEM SOMOS

NISTO CREMOS

ESTUDOS

JUDICIAIS

CARTAS

Lição 13

Não trajava veste nupcial

Versículo a memorizar:“Estai vós também apercebidos; porque, numa hora em que não penseis, virá o Filho do homem” Lc 12:40

Estudo adicional:  Parábolas de Jesus, pág. 307-319.

Lição das Escrituras: Mt 22:1-14; Lc 14:16-24.

SÁBADO do SENHOR - Introdução

“A parábola das bodas apresenta-nos uma lição da mais elevada importância. Pelas bodas é representada a união da humanidade com a divindade; a veste nupcial simboliza o carácter que precisa possuir todo aquele que há de ser considerado hóspede digno para as bodas.” Parábolas de Jesus, pág. 307.

1º DIA da SEMANA - Vinde, porque tudo já está preparado

1 –  Na parábola da grande ceia, que convite grandioso foi feito? Lc 14:16-17.

NOTA: “Durante este tempo, que se estende do ano 27 ao ano 34 de nossa era, Cristo, a princípio em pessoa e depois pelos Seus discípulos, dirigiu o convite do evangelho especialmente aos judeus. Ao saírem os apóstolos com as boas novas do reino, a recomendação do Salvador era: "Não ireis pelos caminhos das gentes, nem entrareis em cidades de samaritanos; mas ide às ovelhas perdidas da casa de Israel." Mat. 10:5 e 6.” O Grande Conflito, pág. 327.

2 – Como foi recebido este convite pelos que foram convidados? Lc 14:18-20; Mt 22:3, 2.ª parte; Mt 22:5.

NOTA: “O Senhor operou maravilhas em favor dos filhos de Israel. Acabou, finalmente, por lhes enviar o Seu próprio Filho, o Príncipe da vida, o Messias para quem apontavam todos os seus sacrifícios e oferendas. No entanto, eles não O receberam. Rejeitaram a mensagem que Ele trazia. Recusaram o Messias em quem se centrava a sua esperança. Mas, ao recusarem ouvir as Suas mensagens, rejeitando o convite que Ele lhes fez, o Senhor virou-se para o mundo gentio. Aqueles que deveriam ter conhecido a Deus e a Jesus Cristo, a quem enviara, aqueles que se deveriam ter unido ao Enviado de Deus, a fim de transmitirem a mensagem a um mundo pagão, não receberiam o convite.” The Southern Work, pág. 22.

SEGUNDA-FEIRA - Encolerizou-se

3 – Como foram tratados os servos do rei enquanto iam fazendo o convite? Mt 22:6.

NOTA: “Nesta parábola, como na da grande ceia, são ilustrados o convite do evangelho, sua rejeição pelo povo judeu e o convite da graça aos gentios. Esta parábola, porém, apresenta-nos maior ofensa da parte dos que rejeitam o convite, e juízo mais terrível. O chamado para o banquete é um convite real. Procede de alguém que está investido de poder para ordenar. Confere grande honra. Contudo esta é desapreciada. A autoridade do rei é menosprezada. Ao passo que o convite do pai de família é considerado com indiferença, o do rei é recebido com insulto e morte. Trataram seus criados com escárnio e desprezo e os mataram.” Parábolas de Jesus, pág. 307.

4 Que atitude tomou o rei contra aqueles que desprezaram o seu convite? Mt 22:7.

NOTA: “Assim o povo judeu selou sua rejeição da misericórdia de Deus.  O resultado foi predito por Cristo na parábola. O rei enviou "os seus exércitos, destruiu aqueles homicidas, e incendiou a sua cidade". Mat. 22:7. O juízo pronunciado atingiu os judeus na destruição de Jerusalém e na dispersão do povo.” Parábolas de Jesus, pág. 308-309.

TERÇA-FEIRA - Ide depressa

5 – Que outro convite fez o rei então? Mt 22:8-10; Lc 14:21.

NOTA: “Os servos do rei que foram pelos caminhos, "ajuntaram todos quantos encontraram, tanto maus como bons". Mat. 22:10. Era um grupo misto. Alguns deles não tinham maior respeito ao doador da ceia do que os que haviam rejeitado o convite. A classe primeiramente convidada não podia, como pensava, sacrificar os privilégios mundanos para comparecer ao banquete do rei. E entre os que aceitaram o convite havia muitos que pensavam somente em se beneficiar. Foram para partilhar das provisões do banquete, mas não tinham desejo de honrar ao rei.” Parábolas de Jesus, pág. 309.

6 – Que convite final foi feito? Lc 14:22-24.

NOTA: “A última mensagem de advertência e misericórdia deve iluminar com sua glória toda a Terra. Deve alcançar todas as classes sociais - ricos e pobres, elevados e humildes. "Sai pelos caminhos e atalhos", diz Cristo, "e força-os a entrar, para que a Minha casa se encha." Luc. 14:23. O mundo perece pela carência do evangelho. Há fome da Palavra de Deus. Poucos pregam a Palavra não misturada com tradições humanas. Embora tenham os homens nas mãos a Bíblia, não recebem as bênçãos que, para eles, Deus nela colocou. O Senhor chama Seus servos para levar a mensagem ao povo. A Palavra da vida eterna deve ser dada aos que perecem em seus pecados. Na ordem de ir pelos caminhos e valados, Cristo apresenta a tarefa, a todos os que chama, de ministrar em Seu nome. Todo o mundo é o campo para os ministros de Cristo. Toda a família humana está compreendida em sua congregação. O Senhor deseja que Sua Palavra de misericórdia seja levada a toda pessoa. Isso deve ocorrer principalmente pelo serviço pessoal. Era o método de Cristo. Sua obra consistia grandemente em entrevistas pessoais. Tinha fiel consideração pelo auditório de uma só pessoa. Por esse único ouvinte, a mensagem, muitas vezes, era proclamada a milhares. Não devemos esperar que as pessoas venham a nós; precisamos procurá-las onde estiverem. Quando a Palavra é pregada do púlpito, o trabalho apenas começou. Há multidões que nunca serão alcançadas pelo evangelho se ele não lhes for levado.” Parábolas de Jesus, pág. 228-229.

QUARTA-FEIRA - Para ver os convivas

7 – Que trabalho de inspecção fez o rei antes de servir a boda? Mt 22:11, 1.ª parte.

NOTA: “O exame dos convidados pelo rei representa uma cena de julgamento. Os convidados à ceia do evangelho são os que professam servir a Deus, cujos nomes estão escritos no livro da vida. Nem todos, porém, que professam ser cristãos, são discípulos verdadeiros. Antes que seja dada a recompensa final, precisa ser decidido quem está apto para participar da herança dos justos. Essa decisão deve ser feita antes da segunda vinda de Cristo, nas nuvens do céu; porque quando Ele vier, o galardão estará com Ele "para dar a cada um segundo a sua obra". Apoc. 22:12. Antes de Sua vinda o carácter da obra de cada um terá sido determinado, e a cada seguidor de Cristo o galardão será concedido segundo seus actos. Enquanto os homens ainda estão sobre a Terra, é que a obra do juízo investigativo se efectua nas cortes celestes. A vida de todos os Seus professos seguidores é passada em revista perante Deus; todos são examinados de conformidade com os relatórios nos livros do Céu, e o destino de cada um é fixado para sempre de acordo com seus actos.” Parábolas de Jesus, pág. 310.

8 – Que foi descoberto como resultado dessa inspecção? Mt 22:11.

NOTA: “O homem que foi à ceia sem a veste de bodas representa a condição de muitos hoje em dia. Professam ser cristãos e reclamam as bênçãos e privilégios do evangelho; contudo não sentem a necessidade de transformação de carácter. Nunca sentiram verdadeiro arrependimento dos pecados. Não reconhecem a necessidade de Cristo, nem exercem fé nEle. Não venceram suas inclinações para a injustiça, herdadas e cultivadas. Contudo pensam ser bastante bons em si mesmos, e confiam em seus próprios méritos em vez de nos de Cristo. Como ouvintes da Palavra, vão ao banquete, mas não tomaram a veste da justiça de Cristo. Muitos que se chamam cristãos são meros moralistas humanos. Recusaram a dádiva que, somente, podia habilitá-los para honrar a Cristo com representá-Lo ao mundo. A obra do Espírito Santo lhes é estranha. Não são praticantes da Palavra. Os princípios celestes que distinguem os que são um com Cristo dos que se unem ao mundo, tornaram-se quase indistintos. Os professos seguidores de Cristo não são mais um povo separado e peculiar. A linha de demarcação é imperceptível. O povo está-se subordinando ao mundo, às suas práticas, costumes e egoísmos. A igreja passou para o mundo, transgredindo a lei, quando o mundo devia passar para a igreja na obediência da mesma. Diariamente a igreja se está convertendo ao mundo. Todos estes esperam ser salvos pela morte de Cristo, ao passo que recusam viver Sua vida de abnegação. Exaltam as riquezas da livre graça, e procuram cobrir-se com a aparência de justiça, esperando assim ocultar os defeitos de carácter, mas seus esforços serão vãos no dia de Deus. A justiça de Cristo não encobrirá pecado algum acariciado. O homem pode ser intimamente transgressor da lei; todavia, se não comete um ato visível de transgressão, pode ser considerado, pelo mundo, possuidor de grande integridade. A lei de Deus, porém, lê os segredos do coração. Todo ato é julgado pelos motivos que o sugeriram. Somente quem estiver de acordo com os princípios da lei de Deus, permanecerá em pé no Juízo.” Parábolas de Jesus, pág. 315-316.

9 – O que é a veste de bodas? Zc 3:3-4.

NOTA: “Este vestido fiado nos teares do Céu não tem um fio de origem humana. Em Sua humanidade, Cristo formou carácter perfeito, e oferece-nos esse carácter. "Todas as nossas justiças" são "como trapo da imundícia." Isa. 64:6. Tudo que podemos fazer de nós mesmos está contaminado pelo pecado. Mas o Filho de Deus "Se manifestou para tirar os nossos pecados; e nEle não há pecado". I João 3:5. O pecado é definido como "o quebrantamento da lei". I João 3:4, Versão Trinitariana. Mas Cristo foi obediente a todos os reclamos da lei. De Si mesmo, disse: "Deleito-Me em fazer a Tua vontade, ó Deus Meu; sim, a Tua lei está dentro do Meu coração." Sal. 40:8. Quando esteve na Terra, disse aos discípulos: "Tenho guardado os mandamentos de Meu Pai." João 15:10. Por Sua obediência perfeita tornou possível a todo homem obedecer aos mandamentos de Deus. Ao nos sujeitarmos a Cristo, nosso coração se une ao Seu, nossa vontade imerge em Sua vontade, nosso espírito torna-se um com Seu espírito, nossos pensamentos serão levados cativos a Ele; vivemos Sua vida. Isso é o que significa estar trajado com as vestes de Sua justiça. Quando então o Senhor nos contemplar, verá não o vestido de folhas de figueira, não a nudez e deformidade do pecado, mas Suas próprias vestes de justiça que são a obediência perfeita à lei de Jeová.” Parábolas de Jesus, pág. 311-312.

10 –  Como se prepara o pão de Deus para as bodas? Ap 19:7-8.

NOTA:  “Justiça é fazer o bem, e é pelos actos que todos serão julgados. Nosso carácter é revelado pelo que fazemos. As obras mostram se a fé é genuína. Não é bastante crermos que Jesus não é um impostor, e a religião da Bíblia não é uma fábula artificialmente composta. Podemos crer que o nome de Jesus é o único debaixo dos Céus pelo qual devemos ser salvos, e contudo podemos não torná-Lo pela fé nosso Salvador pessoal. Não é bastante crer na teoria da verdade. Não é bastante fazer profissão de fé em Cristo, e ter nosso nome registrado no rol da igreja. "Aquele que guarda os Seus mandamentos nEle está, e Ele nele. E nisto conhecemos que Ele está em nós: pelo Espírito que nos tem dado." I João 3:24. "E nisto sabemos que O conhecemos: se guardarmos os Seus mandamentos." I João 2:3. Esta é a evidência genuína da conversão. Qualquer que seja nossa profissão, nada valerá se Cristo não for revelado em obras de justiça. A verdade deve estar plantada no coração. Deve dirigir o espírito e regular as afeições. Todo o carácter deve ser estampado com a expressão divina. Cada jota e cada til da Palavra de Deus deve ser introduzido na vida diária. Aquele que se torna participante da natureza divina estará em harmonia com o grande padrão de justiça de Deus, Sua santa lei. Esta é a norma pela qual Deus mede as acções do homem. E esta será também a pedra de toque do carácter no juízo.” Parábolas de Jesus, pág. 312-313.

QUINTA-FEIRA - Ele, porém, emudeceu

11 – Que resposta deu o homem à questão do rei? Mt 22:12.

NOTA: “Dói-me o coração ao ser-me mostrado quantos há que fazem do próprio eu seu ídolo. Cristo pagou o preço da redenção por elas. A Ele pertence o serviço de todas as suas faculdades. Seu coração, porém, está cheio de amor-próprio, e do desejo de se adornarem a si mesmas. Não reflectem nas palavras: "Se alguém quiser vir após Mim, negue-se a si mesmo, e tome a sua cruz, e siga-Me." Mar. 8:34. O satisfazerem-se a si próprias está ocultando Cristo de seus olhos. Não têm nenhum desejo de andar diante de Deus em mansidão e humildade. Não estão olhando a Jesus. Não estão orando para serem transformadas à Sua semelhança. Seu caso é representado pelo homem que chegou ao banquete do rei trajado com suas vestes comuns de cidadão. Recusara-se a fazer os preparativos exigidos pelo rei. As vestes para ele providas a grande preço, desdenhou usar. À pergunta do rei: "Como entraste aqui, não tendo vestido nupcial?" (Mat. 22:12), nada pôde responder. Emudeceu; pois sentia a própria condenação.” Mensagens Escolhidas, vol. 1, pág. 80.

12 – Como lidou o rei com este homem? Mt 22:13-14.

NOTA: Não haverá oportunidade futura em que os homens se poderão preparar para a eternidade. Nesta vida é que devemos trajar as vestes da justiça de Cristo. Esta é a nossa única oportunidade de formar carácter para o lar que Cristo preparou para os que obedecem aos Seus mandamentos. Rapidamente, os dias de graça estão terminando. O fim está próximo. É-nos feita a advertência: "Olhai por vós, para que não aconteça que o vosso coração se carreguem de glutonaria, de embriaguez, e dos cuidados da vida, e venha sobre vós de improviso aquele dia." Luc. 21:34. Vigiai para que não vos encontre desapercebidos. Acautelai-vos para que não sejais achados na ceia do rei sem vestes nupciais. "Porque o Filho do homem há de vir à hora em que não penseis." Mat. 24:44. "Bem-aventurado aquele que vigia e guarda as suas vestes, para que não ande nu, e não se vejam as suas vergonhas." Apoc. 16:15.” Parábolas de Jesus, pág. 319.

SEXTA-FEIRA - “Conclusão”

No tempo apontado para o julgamento, no fim dos 2300 dias, em 1844, deu-se início à obra investigativa e à remoção dos pecados. Todos os que tomarem sobre si o nome de Cristo devem passar nesse escrutínio. Tanto os vivos como os mortos vão ser julgados “pelas coisas que estavam escritas nos livros, segundo as suas obras” Apocalipse 20:12 Disse o Juiz: “Todos serão justificados pela fé e julgados pelas obras.” Os pecados para os quais não houve arrependimento e que não foram abandonados, não serão perdoados e riscados dos livros de registos, permanecendo para que testemunhem contra o pecador no dia de Deus. Existe uma guerra séria perante os que procuram subjugar as tendências más que pretendem o domínio. A obra de preparação é uma obra individual. Não nos salvamos em grupos. A pureza e devoção de uma pessoa não suprirão a falta destas qualidades noutra pessoa. Embora todas as nações devam ser julgadas por Deus, Ele examinará rigorosamente o caso de cada indivíduo, como se não existisse outro ser à face da terra. Todos devem ser testados e encontrados sem mancha ou ruga. O julgamento está agora a ocorrer no santuário celeste. Há muitos anos que esta obra se tem estado a desenrolar. Em breve, ninguém sabe o quão breve, o caso dos vivos terá sido revisto. Na terrível presença de Deus, a nossa vida terá sido passada em revista. Neste tempo, como em nenhum outro, é bom que cada alma dê atenção à advertência do Salvador: “Olhai e vigiai porque não sabeis quando chegará o tempo” Marcos 13:33. “E, se não  vigiares, virei sobre ti como um ladrão e não saberás a que hora sobre ti virei” Apocalipse 3:3.

 FELIZ SÁBADO NA PAZ DO SENHOR!

Vida Plena

Apartado 165

3001-902 Coimbra - Portugal

Tel. (351) 239 559 945

Email:  vida-plena@clix.pt

Voltar para o ÍNDICE

HOME