Make your own free website on Tripod.com

MENSAGENS FINAIS

QUEM SOMOS

NISTO CREMOS

ESTUDOS

JUDICIAIS

CARTAS

O Que a Doutrina da Trindade Tem a ver com a Natureza Humana de Cristo? 

Gostaria de saber por que a crença na natureza pré-lapsariana de Cristo favorece a Trindade? Mas faço questão de dizer que eu nunca tinha ouvido falar sobre isso na Igreja. Sempre ouvi dizer que Cristo assumiu a natureza de Adão depois da queda e não antes. Pergunto só porque li o artigo do irmão Elpídio e quero entender melhor esse assunto para aprender o que ele tem a ver com a Trindade.

Rogério

 

O que a tese pré-lapsariana tem a ver com o Dogma da Trindade?  

O dogma trinitariano afirma um Cristo totalmente e eternamente divino em relação aos atributos da divindade, oniciência, onipotência, onipresença e imortalidade. Ao se encarnar, Cristo o faz possuindo pessoalmente todos os atributos exclusivos da divindade acima citados. Cristo os possuiu antes da encarnação, os possuiu enquanto encarnado e os possui após a ressureição.

Poderia a natureza humana após o pecado abrigar a segunda pessoa da divindade possuidora de toda a glória da divindade ? Evidentemente, não. A natureza seria consumida pela presença divina. Para a natureza humana não ser consumida pela presença pessoal da segunda pessoa da divindade, só se a natureza humana possuir a condição de Adão antes da queda. Uma natureza humana sem pecado.

Aceitarmos que Cristo tomou a natureza de Adão após a queda, só é possível se aceitarmos que ao se encarnar Ele o tenha feito, como a Bíblia ensina, destituído dos atributos divinos exclusivos de Deus. Um Cristo pré-queda, pressupõe um Cristo dual em suas naturezas, uma divina e outra humana. Uma divina e possuidora dos atributos divinos, e uma humana possuidora de uma humanidade não sujeita às contingências do pecado como qualquer ser humano normal.

Um Cristo pós-queda pressupõe um Cristo plenamente humano sem os atributos do ser divino acima referenciados e portanto sujeito as tentações como qualquer outro ser humano. O único príncipio de divindade que restaria neste Cristo encarnado numa condição pós-queda, seria seu "eu" mental que é pré-encarnatório e o faz saber que sua origem é anterior ao seu nascimento carnal.

O Cristo divino que ao se fazer humano, abre mão da onisciência, onipotência, onisciência e imortalidade e se encarna na condição de Adão após a queda, é um Cristo completamente anti-trinitariano. Enquanto o Cristo trinitariano pré-queda é um Cristo todo poderoso, onisciente, onipresente e imortal, o Cristo pós-queda é um Cristo que apesar de ser pré-humano, não possui mais nem a onisciência, nem a onipotência, nem a onipresença e enquanto esteve na Terra, por ser completamente humano, também não possuía a imortalidade.  

Qual Cristo os trinitarianos vão escolher? Um Cristo humano que está no Céu como homem, fazendo o papel de intermediário entre Deus e os homens, e para isto, fazendo uso do Espírito de Deus, ou um Cristo plenamente divino em relação aos atributos já citados, que está no Céu ao lado do Pai e do Espírito Santo? -- Elpídio da Cruz Silva, adventista há mais de vinte anos, excluído da igreja em 29/11/2003, por não crer na doutrina católica da trindade e falar contra ela.

 

 

Adventista Há Mais de 20 Anos e Nunca Acreditou na Trindade!

 

Quem é Deus segundo a Bíblia, o Espírito de Profecia e a Igreja Adventista do Sétimo Dia?

 

DEUS, SEGUNDO A BÍBLIA

1. "Todavia para nós há um só Deus, o Pai, de quem é tudo e para quem nós vivemos, e um só Senhor, Jesus Cristo, pelo qual são todas as coisas, e nós por ele." -- 1 Coríntios 8:6.

Neste texto a Bíblia deixa de forma absolutamente clara e evidente que, Deus, o soberano do universo é a pessoa do Pai e só a pessoa do Pai.  

2. "E a vida eterna é esta: que te conheçam, a tí só, por único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste." -- João 17:3  .

Aqui o próprio Jesus Cristo ensina que existe um único Deus pessoal e, ele é o Pai. Além disso, reconhecer que o Pai é o único Deus, é condição indispensável para herdar a vida eterna.  

3. Se por acaso restar alguma sombra de dúvida de que o Pai é identificado pela Bíblia como sendo ele o único Deus, sugiro a leitura e releitura dos textos bíblicos abaixo relacionados:

● I Timóteo 2:5
● Efésios 4:6
● I Coríntios 1:3
● Efésios 5:20
● Romanos 16:27
● Gálatas 3:20
● Tiago 2:19*
● Romanos 3:30*
● I Coríntios 8:4
● João 5:44*

(* Na primeira versão do artigo, houve erro de digitação nestas passagens.)

 

DEUS, SEGUNDO O ESPÍRITO DE PROFECIA

1. Nos escritos da Sra. White, Deus é apresentado como a pessoa do Pai e, só a pessoa do Pai. Assim, Para o Espírito de Profecia, Deus é única e essencialmente a pessoa do Pai. Deus é mostrado pelo Dom Profético como um ser pessoal.

"Deus é Espírito, não obstante é um ser pessoal, pois o homem foi criado a sua imagem." Testemunhos Seletos, Vol. 3, pág. 262.  

2. Deus não é uma unidade de três pessoas distintas, e sim um ser pessoal, uma única pessoa. Não foi uma tri-unidade abstrata que criou o homem, e sim um Deus pessoal, que o criou por intermédio de seu filho Jesus Cristo. Não só a criação do homem foi um ato que teve origem na mente de Deus, como também, o Plano da Salvação. A criação e a redenção tiveram sua origem na mente do Pai.  

"O gloriosa Plano da Salvação humana foi produzido mediante o infinito amor de Deus o Pai." Testemunhos Seletos, Vol. 1, pág. 219. 

3. Deus, como uma pessoa única e inigualável, pode ser conhecido por intermédio de seu único filho Jesus Cristo.  

"Como ser pessoal, Deus se revelou em seu filho Jesus, o resplendor da glória do Pai." Testemunhos Seletos, Vol. 3, pág. 263.

4. O Pai e o Filho estão unidos no mesmo propósito, pensamento e caráter. Eles não estão unidos formando um deus triúno, uma trindade.  

"Declaração admirável! A unidade entre Cristo e seus discípulos não destrói a personalidade de nenhum deles, são um no propósito, no pensamento, no caráter, mas não em pessoa. Assim é que Deus e Cristo são Um." Testemunhos Seletos, Vol. 3, pág. 264.  

Portanto, Deus é um ser pessoal e não uma junção de três pessoas distintas e separadas. Deus não é a união de três, e sim a pessoa do Pai.

 

DEUS, SEGUNDO A IASD

1. Era de se esperar que o ensino da I.A.S.D, a respeito de Deus, fosse o mesmo contido na Bíblia e no Espírito de Profecia, no entanto não é o que ocorre. A I.A.S.D ensina de forma oficial, que Deus, o soberano do universo não é uma pessoa, e sim uma entidade abstrata e indefinível.  

"Os Adventistas do Sétimo Dia Creêm que há um só Deus: Pai, Filho e Espírito Santo, uma unidade de três pessoas coeternas. Deus é imortal, onipotente, onisciente,acima de tudo e sempre presente. Ele é infinito e está além da compreensão humana, mas é conhecido por meio de sua auto- revelação. Para sempre é digno de culto, adoração e serviço por parte de toda a criação." Nisto Cremos, Casa Publicadora Brasileira, Tatuí, SP, 1997, pág. 31.  

2. Além de terem criado a idéia de um deus abstrato e indefinível, os teólogos adventistas ainda dizem que as pessoas, Pai, Filho e Espírito Santo, não são nada mais do que figuras representativas que o deus indefinível assume para se apresentar aos homens.  

"Em nossa concepção da Trindade, tendemos a pensar em três deuses em vez de um. Nosso Deus é somente um (Deuteronômio 6:4); mas há três pessoas em uma única Divindade. (...). Assim a Divindade, sendo uma manifesta-se como Pai, Filho e Espírito Santo. Jesus disse: "Eu e o Pai somos um." S.João. Froom, Leroy Edwin. A Vinda do Consolador, Casa Publicadora Brasileira, Tatuí, SP, 1988, pág. 50.  

3. Um outro grande teólogo adventista brasileiro já falecido, vai ainda além do que Leroy Froom propõe. Este teólogo afirma que os atributos divinos, como onipotência, onipresença, imortalidade e onisciência, são atributos não das pessoas individuais, Pai, Filho e Espírito Santo, e sim da natureza que os une e a qual eles pertencem.  

"A negação da Trindade advém primeiramente de um grande erro: conceituar pessoas divinas como se conceituam pessoas humanas. 'Em teologia, como em qualquer outra ciência, há necessidade absoluta de alguns termos técnicos. Quando dizemos que há três pessoas distintas na Divindade, não queremos com isso, dizer que cada uma delas é tão separada da outra, como um ser humano está separado de todos os demais. Embora se diga que Se amam, Se ouçam, orem um aos outros, enviem uns aos outros, testifiquem uns dos outros, não são no entanto, independentes entre si; porque como já dissemos, auto-existência e independência são propriedades, não das pessoas individuais, mas do Deus Triúno.'" Christianini, Arnaldo B., Radiografia do Jeovismo, Casa Publicadora Brasileira, Santo André, SP, 1975, pág. 95.  

 

CONCLUSÃO

Leroy Frooom afirma que Deus, a Divindade, apesar de ser uma, manifesta-se de três formas diferentes que são: Pai, Filho e Espírito Santo. Nada mais nada menos, ele diz que Deus sendo um, pode no entanto, usar três máscaras diferentes ao se relacionar com o homem.  

Arnaldo Christianini propõe que os atributos divinos (imortalidade, onipotência, onipresensa,onisciência), pertencem não Às pessoas individuais: Pai, Filho e Espírito Santo, e sim à substância, a essência, a natureza da qual os três fazem parte.  

Como Adventista que acredita na Bíblia e no Espírito de Profecia, tenho que colocar a verdade revelada acima das teorias humanas a respeito de Deus. Todas as vezes que o homem se afasta de um autêntico, "Assim diz o Senhor", ele cria heresias diabólicas que o afasta do Deus verdadeiro.  

Caso minhas considerações sejam infundadas, peço aos irmãos que usam a rede de computadores, que me convençam do erro. -- Elpídio da Cruz Silva, adventista há mais de 20 anos.

Leia também:

 

HOME