Make your own free website on Tripod.com

MENSAGENS FINAIS

QUEM SOMOS

NISTO CREMOS

ESTUDOS

JUDICIAIS

CARTAS

 O Israel Moderno

Capítulo III

Capítulo 65 do livro O Desejado de Todas as Nações.

No último capítulo, prometi que iríamos directamente à Palavra do Senhor, a fim de estabelecermos quem ou o que é a igreja. É alarmante o facto de encontrarmos tantas pessoas que se dizem adventistas do 7º dia mas que desprezam o Espírito de Profecia. Já ouvi coisas como: "Bom, se achas que necessitas de Ellen White, tudo bem. Eu só preciso da minha Bíblia". Talvez estas pessoas não compreendam que, colocando de lado o Espírito de Profecia, estão também a pôr de lado a Bíblia pois, de acordo com a descrição que é feita da igreja remanescente em Apocalipse, uma das marcas identificativas da verdadeira igreja é o dom de profecia.

No livro de Actos descobrimos a clara e simples verdade sobre quem e o que é a igreja. Veremos melhor se tais pessoas estarão a desprezar somente o Espírito de Profecia. Na realidade, isto provará que aqueles que não desejam aceitar a verdade, desprezá-la-ão sem se importarem onde ela se encontra.

A boa nova é que este pequeno estudo de Actos é notavelmente claro e os cristãos honestos que procuram a verdade e a direcção de Deus louvarão o Seu nome!

Conheceis a história de Estevão. Era Estevão um dos da Associação, ou seria apenas um homem independente? Bom, é claro que Estevão foi escolhido pelos discípulos (Pregadores Independentes). A Associação não reconhecia estes homens e disse-lhes que eles não tinham qualquer autoridade para pregar. Chegaram mesmo a proibi-los de pregarem no nome de Jesus.

Os pregadores independentes (incluindo Estevão) não deixaram de o fazer, pois não agiam de acordo com as ordens emanadas pela Associação mas sim em conformidade com as ordens vindas de Deus. Estevão foi chamado por "Comité da Associação" e à medida que ele lhes explicava as profecias que se relacionavam com Cristo, os homens da Associação iam ficando cada vez mais zangados. Na realidade, Actos 7:54 diz que eles "rangiam os dentes contra ele". Iniciemos a leitura a partir do versículo 55.

Actos 7:55-60 "Mas ele, cheio do Espírito Santo, fitando os olhos no céu, viu a glória de Deus, e Jesus em pé à direita de Deus, e disse: Eis que vejo os céus abertos, e o Filho do homem em pé à direita de Deus. Então eles gritaram com grande voz, taparam os ouvidos, e arremeteram unânimes [UNIDADE]contra ele e, lançando-o fora da cidade, o apedrejavam. E as testemunhas depuseram as suas vestes aos pés de um mancebo chamado Saulo. Apedrejavam, pois, a Estêvão que orando, dizia: Senhor Jesus, recebe o meu espírito. E pondo-se de joelhos, clamou com grande voz: Senhor, não lhes imputes este pecado. Tendo dito isto, adormeceu. E Saulo consentia na sua morte."

Agora já sabemos que os que apedrejaram Estevão eram homens da Associação. Sabemos também que Estevão era um pregador independente e que foi assassinado pelos líderes da Associação por pregar sobre a causa de Jesus.

Quem era Saulo? Era ele um homem da Associação ou um independente? Saulo era, com certeza, um homem da Associação e em quem a Associação confiava bastante. O seu futuro junto da Associação apresentava-se brilhante. Saulo era ousado e dotado de uma grande capacidade de argumentação.

Uma importante lição que certamente não desejaremos perder é o espírito que Estevão tinha em si no momento em que estava a ser apedrejado por se ter mantido ao lado de Jesus. Estevão, longe de se mostrar amargo e vingativo, pediu que o Senhor não lhes imputasse aquele pecado. Este é o espírito que o próprio Jesus demonstrou ao ser martirizado pelas pessoas da Associação. Nenhum destes homens fugiu ao dever de expor o verdadeiro carácter destes líderes apóstatas da Associação e nenhum deles demonstrou possuir um espírito de ódio. Tanto Jesus como Estevão não se mostraram "cegos, nem amargos". Mas continuemos a ler.

Actos 7:60; 8:1-4: "E Saulo consentia na sua morte. Naquele dia levantou-se grande perseguição contra a igreja que estava em Jerusalém;" PARE!

Prestemos realmente atenção a estes versículos, pois nestas palavras encontramos uma grande verdade e revelação! "E nessa altura surgiu uma grande perseguição contra…" quem? Sim! A igreja! Quem perseguia quem em Jerusalém? Eram os romanos que perseguiam os homens da Associação? Não. Estes é que perseguiam a igreja. Não UMA igreja qualquer mas A igreja. Irmãos e irmãs, poderão as coisas ser mais claras do que isto? É exactamente isto que lemos na Palavra de Deus e se desprezarmos tal facto, teremos que deitar fora as nossas Bíblias. Mas continuemos a ler. Existem mais coisas para conhecermos.

"E Saulo consentia na sua morte. Naquele dia levantou-se grande perseguição contra a igreja que estava em Jerusalém; E todos excepto os apóstolos, foram dispersos pelas regiões da Judeia e da Samaria." PARE!

Vedes? A Bíblia declara claramente que os discípulos pertenciam à igreja perseguida e que os membros desta igreja tiveram que fugir para fora do país. Isto prova, para além de qualquer dúvida, que a igreja do tempo de Cristo NÃO era a Associação mas os que seguiam Jesus, ou aqueles a quem a Associação, nesse tempo, apelidaria de independentes. A Associação odiava os apóstolos e os outros líderes independentes que tinham sido escolhidos. Era por isso que eles os perseguiam e era por isso que Saulo os perseguia. Mas odiando-os ou não, reconhecendo ou não a sua autoridade para pregarem a verdade, a Associação não tinha claramente nada a dizer. Deus sim! Deus declarou que eles eram A IGREJA! Mas nós ainda não terminámos!

"E uns homens piedosos sepultaram a Estêvão, e fizeram grande pranto sobre ele. Saulo porém, assolava a igreja, . . ." PARE!

Quem é que Saulo matou? Sim! A igreja. Agora, quem é que Saulo tentava destruir? Seriam os líderes da Associação Primitiva? Claro que não, uma vez que fora empregue por eles e visto ser ele próprio um homem da Associação Primitiva. Sabem, Saulo procurava destruir os Independentes e aqueles que os apoiavam, pois todos eles procuravam manter-se ao lado de Jesus. Mas continuemos. "

"E uns homens piedosos sepultaram a Estêvão, e fizeram grande pranto sobre ele. Saulo porém, assolava a igreja, entrando pelas casas e, arrastando homens e mulheres, os entregava à prisão. No entanto os que foram dispersos iam por toda parte, anunciando a palavra.."

Meus amigos, nada é mais simples do que isto. Vemos aqui claramente que, embora a Associação Primitiva tenha sido inicialmente criada pelo próprio Cristo e embora declarasse que "a igreja estava a avançar", NÃO ERA EXACTAMENTE A IGREJA QUE ESTAVA A AVANÇAR.

Muitos adventistas (os Judeus dos nossos tempos) caíram na mesma armadilha em que já tinham caído os Judeus (os adventistas primitivos). O seu orgulho influenciou-os a confiar inteiramente na Associação que fora criada por Cristo. Mas quando a Associação se tornou corrupta, aqueles que deixaram de seguir os princípios divinos também se tornaram corruptos e, com uma lealdade cega, seguiram estes homens e foi por isso que Jesus teve tantos problemas quando aqui esteve. Foi por isso que Jesus foi rejeitado pela Associação enquanto esteve nesta terra. Foi por isso que Jesus rejeitou e pôs cobro à Associação que ELE CRIARA (não foram eles que se criaram a si próprios). Foi por isso que Jesus escolheu líderes independentes e lhes disse que continuassem com a obra que Ele iniciara. E É POR ISSO QUE ELE ESTÁ A FAZER O MESMO HOJE EM DIA.

O que é que o nosso povo lê hoje?! Muitos de vós conheceis as citações que claramente nos dizem que os líderes dos últimos dias serão educados pelo Espírito Santo, em vez de frequentarem instituições literárias. Provavelmente já leram que o próprio Deus escolherá os seus líderes nos últimos tempos. Não vos parece claro que o Senhor fez exactamente o que tinha que fazer enquanto aqui esteve? Seremos nós como o Rei Belsazar, que não conseguiu ler o que estava escrito na parede do seu palácio? Este assunto que estamos agora a estudar é vital! É tão vital que o compreendamos, tal como o era no tempo do nosso precioso Senhor, pois SOMENTE OS QUE APREENDEREM ESTA LIÇÃO SERÃO SALVOS! Permiti, por favor, que vos coloque uma outra questão. Eu não quero que ninguém passe por alto estas verdades.

Um pouco mais à frente na história de Saulo, o que é que lhe aconteceu? Ia ele a caminho de Damasco a fim de aí continuar a sua perseguição à igreja. Ele para lá se dirigia a fim de procurar aqueles que seguiam os Independentes, com o objectivo de os encarcerar. Actos 9:1, 2 fala-nos sobre o assunto: "Saulo, porém, respirando ainda ameaças e mortes contra os discípulos do Senhor, dirigiu-se ao sumo sacerdote, e pediu-lhe cartas para Damasco, para as sinagogas, a fim de que, caso encontrasse alguns do Caminho, quer homens quer mulheres, os conduzisse presos a Jerusalém."

Por isso, o que Saulo estava a fazer era, com a autoridade da Associação, dirigir-se às igrejas locais e expulsar as pessoas à força. Propunha-se a destruir os perturbadores de Israel que seguiam a Jesus Cristo, aqueles a quem a Associação rejeitava. Mas Saulo nunca chegou a terminar o seu trabalho. Algo invulgar aconteceu e podemos ler toda a história nos versículos seguintes.

Actos 9:3-5: "Mas, seguindo ele viagem e aproximando-se de Damasco, subitamente o cercou um resplendor de luz do céu; e, caindo por terra, ouviu uma voz que lhe dizia: Saulo, Saulo, por que me persegues? Ele perguntou: Quem és tu, Senhor? Respondeu o Senhor: Eu sou Jesus, a quem tu persegues."

E por isso, na estrada para Damasco, Saulo vê literalmente a luz e apercebe-se de que, embora pudesse ter pensado que estava a fazer o que era mais correcto, ele estava a perseguir as pessoas erradas. A história continua, como sabeis e, por causa desta experiência na estrada de Damasco, Saulo fica cego e passa alguns dias em Damasco. Enquanto lá esteve, o Senhor enviou-lhe um discípulo - Ananias - que lhe restaurou a visão. Saulo, então, é cheio pelo Espírito Santo.

Actos 9:17, 18: "Partiu Ananias e entrou na casa e, impondo-lhe as mãos, disse: Irmão Saulo, o Senhor Jesus, que te apareceu no caminho por onde vinhas, enviou-me para que tornes a ver e sejas cheio do Espírito Santo. Logo lhe caíram dos olhos como que umas escamas, e recuperou a vista: então, levantando-se, foi baptizado."

É neste momento que a obra que Saulo procurara levar a cabo sofre uma mudança. É também neste momento que, mais uma vez, se verificam as anteriores declarações sobre quem era A IGREJA que a Bíblia apresenta.

Actos 9.19-21: "E, tendo tomado alimento, ficou fortalecido. Depois demorou-se alguns dias com os discípulos que estavam em Damasco; e logo nas sinagogas pregava a Jesus, que este era o filho de Deus. Todos os seus ouvintes pasmavam e diziam: Não é este o que em Jerusalém perseguia os que invocavam esse nome, e para isso veio aqui, para os levar presos aos principais sacerdotes?"

Poderão ainda existir dúvidas quanto ao que a Bíblia aqui refere tão claramente? Não o creio. A Palavra de Deus expressa em Actos 9 exactamente o que disse em Actos 7 e 8. A igreja de Deus estava a ser perseguida em Jerusalém e essa igreja NÃO era a Associação.

Compreensivelmente, a igreja em Damasco (os seguidores de Cristo) mostrou-se bastante apreensiva no tocante a Saulo. Eles declararam que aquele era o mesmo homem que perseguira a igreja em Jerusalém e não quiseram confiar nele. Ficaram preocupados com o facto de aquele poder ser um estratagema para os levar perante o Comité da Associação que já matara Jesus e apedrejara Estevão. É verdade que esta era a ideia inicial de Saulo mas o Senhor tinha outros planos, louvado seja o Seu nome!

Actos 9:22: "Saulo, porém, se fortalecia cada vez mais e confundia os judeus que habitavam em Damasco, provando que Jesus era o Cristo."

Deste modo, eu acho que Saulo compreendeu a situação e por isso se mostrou disposto a levar por diante os seus novos deveres, a fim de lhes mostrar de que lado se situava a sua lealdade agora. Provavelmente desejareis ponderar o facto de Jesus, através do seu Espírito Santo, ter levado Saulo a pregar em Seu nome, em vez de o mandar de volta para alguma instituição literária. O que acontece a seguir é muito interessante e prova que a Associação apóstata, no fim dos tempos, se virará mesmo contra os seus próprios homens, em vez de escutar as claras palavras da verdade.

Actos 9:23: "Decorridos muitos dias, os judeus deliberaram entre si matá-lo".

A história continua e Saulo procura trabalhar com os discípulos em Jerusalém mas esses mostram-se nervosos quanto às suas intenções. O Senhor acaba por solucionar o problema e Saulo transforma-se em Paulo - um dos nossos heróis.

Podemos aprender muitas coisas com esta história e eu quero colocar-vos algumas questões que vos darão uma oportunidade para reflectirem sobre alguns pontos importantes. Porque é que agora os Judeus queriam matar Paulo (Saulo)? Quando ele viu a verdade tal como ela é em Cristo, qual foi a sua atitude? Continuou Saulo, que se transformou em Paulo, a perseguir a igreja, ou passou ele a apoiá-la? Que igreja passou ele a apoiar depois da sua conversão? Será que Paulo continuou a ser um líder da Associação ou ter-se-á ele tornando num líder independente? Será que a Associação Adventista Primitiva apoiou esta sua decisão? Estará Saulo, que se transformou num líder independente por Jesus e se passou a chamar Paulo, no céu ou serão os líderes da Associação Adventista Primitiva a gozar desse privilégio?

Eu não consigo colocar suficiente ênfase nas citações que se seguem e nas lições vitais que elas claramente contêm. Que Deus glorioso nós servimos e que fez todas as provisões necessárias para todas as nossas necessidades. Infelizmente, muitos acabarão como os adventistas do passado. Os nossos livros dizem-nos exactamente isso mas nós, os que amamos a verdade tal como ela é na realidade em Jesus, não precisamos de ser enganados. Voltemos agora para o Desejado de Todas as Nações e continuemos o nosso estudo sobre os paralelismos proféticos.

DTN 636: "Os sacerdotes e governadores tinham endureço os seus corações pelo egoísmo e avareza. Os próprios símbolos que indicavam o Cordeiro de Deus, estavam transformados num meio de ganho. Assim, aos olhos do povo fora destruída, em grande parte, a santidade do serviço sacrifical. . . . CRISTO FALARA CONTRA ESTAS PRÁTICAS POR MEIO DOS PROFETAS."

O que é a avareza? O Dicionário Completo Webster de Língua Inglesa diz: "avidez insaciável em relação às riquezas; desejo excessivo, mesquinho de conseguir e amontoar riquezas". Insaciável significa: "não saciável; incapaz de ser satisfeito". A palavra "excessivo" é descrita como: "para além dos limites adequados; imoderado; desordenado, descontrolado; de comportamento ou sentimentos não controlados, etc."

Sabíeis que os milhões de dólares que vos foram confiados por Deus e que vós críeis ser directamente destinados para a obra de Deus são, muitas vezes, utilizados para jogar na Bolsa? É verdade. Não leu mal esta última frase. Na realidade, eu possuo documentos que provam que, em 1980, pelo menos $117,000,000 foram "investidos" em empresas mundanas. Todos estes documentos são bastante reveladores e os leigos não fazem ideia de que isto possa realmente estar a acontecer. Esta documentação encontra-se disponível através de Servants of the Saviour (Servos do Salvador). Permiti que partilhe convosco uma carta escrita em 1983 por uma alma preocupada e que percebeu perfeitamente o que se passava.



 

"Prezado Irmão xxxxxx,

"Como membro fiel da Igreja Adventista do 7º Dia, estou bastante preocupado com o que se passa dentro da estrutura desta igreja. Estou preocupado com as finanças e com a forma como elas estão a ser conduzidas. Em 31 de Dezembro de 1980 fiquei com imensas perguntas por responder relativamente ao relatório financeiro da Associação Geral dos Adventistas do 7º Dia. Este relatório mostra que, nesta data, a Associação Geral possuía $117,858,288.77 em investimentos e que o valor corrente para essa mesma data era de $103,909,802.99, perfazendo uma perda real de $13,948,379.92. Só este número torna bastante claro que os nossos conselheiros e líderes financeiros na Associação Geral são calamitosamente ignorantes no que toca às específicas instruções do Senhor para a Sua igreja. Para além disso, 54 dos investimentos a longo prazo não vencerão antes do período 2000/2020 e estas quantias remontam a quase $20,000,000. Tenho uma pergunta. Estarão mesmo os irmãos do departamento financeiro da nossa igreja à espera que Cristo venha? Encontrarão estes investimentos de longa duração registados nas páginas 28, 29, 30, 33, 47, 49, 50 e 52 do relatório financeiro de 1980 da Associação Geral.

"Os que, de entre nós, já são suficiente idosos para se lembrarem do que aconteceu nos anos 1930/1932 sabem perfeitamente bem que, se ocorresse novamente uma depressão tal como a que aconteceu então, estes milhões de dólares pertencentes aos fundos do Senhor seriam inúteis para o prosseguimento da obra da igreja".



 

Este mesmo irmão que partilhou connosco este documento, também nos informou de que, dois anos depois de esta carta ter sido escrita, lhe disseram que a quantia investida subira para $250,000,000 e que mais dois anos depois disto, ela subira para $450,000,000!

Não existe mais nada que eu possa acrescentar à carta mencionada mas gostaria de colocar ainda mais três perguntas simples, para além das que aí encontramos. Sabíeis vós que os fundos que vós enviais para o "termino da obra" estão a ser investidos na Bolsa? Porque é que o dinheiro de Deus está a ser investido em empresas mundanas? Desejais continuar a enviar o vosso dinheiro para aqueles que NÃO o destinam para o termino da obra de Deus mas que o investem na Bolsa?

Posso assegurar-vos que Deus nos considerará a todos responsáveis pelo que acontece com os meios que Ele nos confiou, de acordo com os conhecimentos que possuímos. E este princípio não termina com os líderes, pois inclui também os mais pequenos leigos da nossa igreja.

No Desejado de Todas as Nações podemos ler que aquelas coisas que Deus confiou à igreja estão a ser utilizadas com o objectivo de se conseguirem benefícios e que tal facto fez com que muitos perdessem o respeito devido a tais coisas sagradas.

Sempre me senti ofendido (por acreditar que o Senhor também assim se sente) pela venda, na Igreja e no Sábado, da assinatura de revistas como os "Sinais dos Tempos". Fui colportor durante mais ou menos três anos. Nunca pensei em vender um livro no dia de Sábado e certamente não na igreja! Tê-lo-ia dado mas nunca teria feito negócio durante as horas sagradas, ou mesmo na Igreja. Tal facto teria sido uma clara violação do 4º Mandamento. Mas a Associação não considera que isso seja errado. Isto era algo que nem os Judeus faziam! Por causa disto, será que se nota um menor respeito pela santidade da igreja, pelo sábado e pelas outras coisas sagradas? Vós sabeis que sim. Em muitos aspectos, nós somos piores que os Judeus que, e nós prontamente o admitimos, rejeitaram Jesus.

DTN 637: "SABIA [CRISTO] QUE SERIAM INUTEIS OS SEUS ESFORÇOS PARA REFORMAR UM SACERDÓCIO CORROMPIDO; não obstante, a Sua obra precisa de ser feita; tem de ser dada a um povo incrédulo a prova da Sua Missão divina."

Jesus sabia que a Sua obra de reforma em relação à corrupta Associação Primitiva seria em vão. Há anos que demonstramos que a Associação se encontra em apostasia, tentando pedir que estes homens voltem para trás mas tudo tem sido em vão. Jesus, embora sabendo que a Associação primitiva não se reformaria, não deixou de fazer a Sua obra. Porquê? Porque, nos livros do Céu, têm que se encontrar registados os avisos; para que, também, os que alguma vez chegassem a ouvir as Suas palavras, se pudessem converter algum dia. Embora saibamos que a nossa obra é em vão em relação à Associação apóstata, sabemos também que almas sinceras se converterão como resultado do nosso trabalho, tal como aconteceu no tempo de Cristo. O mesmo amoroso Jesus ainda trabalha através do Espírito Santo, que fala àqueles que se mostram dispostos a ser ensinados. Devemos continuar a nossa obra, tendo fé de que estas preciosas almas um dia obterão o conhecimento correcto e andarão na luz.

DTN 637: "Os que estavam mais perto d'Ele afastaram-se tanto quanto lhes permitiu a multidão. Excepto a presença de alguns dos Seus discípulos, o Salvador ficou sozinho."

À medida que esta controvérsia se intensifica, a maioria daqueles que se chamam a si próprios adventistas afastar-se-ão da verdade o mais que ousarem, afastando-se também dos que advogam essa verdade. Tal como os discípulos de Cristo, devemos mostrar-nos dispostos a permanecer ao Seu lado e muitas oportunidades se nos depararão para o fazermos. No tempo de Cristo, quando essa oportunidade surgiu, poucos foram os que mostraram dispostos a fazê-lo.

DTN 637-638: "Muitos, porém, avançaram por entre a multidão apressada, ansiosos por encontrar Aquele que era a sua única esperança ."

É para estes que Cristo trabalha. São estas preciosas almas que aceitam o Seu sacrifício na cruz e que se mostram dispostas a percorrer o caminho estreito de Jesus, aonde quer que ele as conduza. Estas pessoas são as que realmente compreendem que Jesus é a sua ÚNICA esperança.

DTN 638: "Acalmado o pânico, sentiram-se ansiosos por saber o que Jesus iria fazer em seguida."

Jesus veio para poder aceder ao lugar, no santuário, que era Seu por direito e que Ele tinha estabelecido. Jesus permaneceu bem no meio do povo que Ele tinha escolhido. Era Dele o nome que eles possuíam: Israel (estareis vós a ver os paralelismos?), pois fora Ele quem o dera a Jacó. Então porque é que os homens da Associação e os seus leais seguidores entraram em pânico?

Depois que Jesus correu com os vendilhões do templo pela primeira vez, estes líderes da Associação reuniram o seu comité e falaram do que tinha acabado de acontecer. Quase os posso ouvir a dizerem: "Se este fulano de Nazaré alguma vez tentar fazer mais alguma coisa como esta, tudo será diferente. Da próxima vez, tratar-lhe-emos da saúde!"

Bom, tal situação ocorreu novamente e eles entraram novamente em pânico! Porquê? Porque a luz e as trevas não podem co-habitar. Quando Cristo toma uma posição de comando, os agentes do diabo têm que se afastar. Uma vez que as provas da apostasia continuam por desvendar e Jesus fala claramente àqueles que querem conhecer a verdade, nós iremos verificar um cada vez maior pânico entre os líderes da Associação apóstata. O pânico acabou por fazer com que a Associação Primitiva perseguisse e matasse o seu próprio povo. Será que alguma coisa mudou em 2000 anos? Começais agora a perceber a razão porque este estudo é tão importante e porque é que Jesus queria que nós obtivéssemos este conhecimento? Eu peço a Deus que assim seja.

DTN 638-639: "Alguém, que eles não conseguiam intimidar, dirigia os acontecimentos."

Muitas vezes testemunhei o facto de alguns leigos adventistas do 7º dia tremerem quando alguém da Associação era "enviado" à sua igreja a fim de resolver um "problema". Talvez vós sejais um dos que se sentiu muito nervoso com isso. Se já vos vistes envolvidos numa reunião deste tipo, sabeis do que estou a falar. Parece que toda a igreja se desmorona com medo quando o homem da Associação aparece. Sinto-me feliz porque Cristo foi "Um dos que não se deixou intimidar por eles". Não vos sentis vós também assim?

Deveremos tirar uma lição reveladora desta afirmação. Se nos sentimos intimidados por aqueles que tentam levar-nos a servir algo ou alguém que não Jesus, então Jesus não é o nosso Comandante. Quando nos encontramos verdadeiramente convertidos e Jesus se encontra totalmente ao comando, não nos deixaremos intimidar por ninguém, especialmente por aqueles que nos tentam assustar e procuram obrigar-nos, desse modo, a fazer algo que irá desonrar o nosso Senhor.

DTN 639: "Dirigindo-se ao templo, onde Ele estava a ensinar, continuaram a interrogá-l'O. Com que autoridade fazes isto? E quem te deu tal autoridade?' Esperavam que Ele declarasse que a Sua autoridade provinha de Deus. Tinham a intenção de negar tal acusação. Mas Jesus enfrentou-os com outra interrogação, aparentemente ligada a um assunto diferente, e tornou a Sua resposta dependente da que eles dessem a esta pergunta. 'O baptismo de João', disse Ele, 'donde era? Do Céu, ou dos homens?'"

Conseguis ver algum paralelismo aqui? Tendes vós ouvido alguém colocar perguntas semelhantes a estas relativamente aos que pregam e ensinam a verdade? O que eles estavam, na realidade, a dizer a Cristo era: "Tu não podes pregar! Tu não frequentaste qualquer uma das nossas escolas e, por isso, não obtiveste a nossa permissão para o fazer!"

João 7:14-16: "Estando, pois, a festa já em meio, subiu Jesus ao templo e começou a ensinar. Então os judeus se admiravam, dizendo: Como sabe este letras, sem ter estudado? Respondeu-lhes Jesus: A minha doutrina não é minha, mas daquele que me enviou." Se lerdes todo o capítulo 7 de João, vereis que os líderes apóstatas da Associação não desejavam que Cristo pregasse e tentavam activamente fazê-lo parar.

Eles também perguntaram a Jesus: "Quem te concedeu tal autoridade?" ou "Quem te disse que poderias ser um pastor?" Tenho, muitas vezes, ouvido esta pergunta. Para muitos, tal como aconteceu no tempo de Jesus, não se trata de: "Será que este homem vem até nós para falar da verdade?" mas sim de: "Quem disse que podias pregar, ou quem disse que podias ser um pastor?" A ilação a tirar será, evidentemente: "A Associação não declarou que poderias ser um pastor. Por isso, o que pensas que estás a fazer?" É triste toda esta história em relação aos adventistas de outros tempos e também o facto de nós ainda colocarmos as mesmas questões. Como Satanás deve estar exultante com a nossa obtusidade e estupidez. Mas, felizmente, as lições a retirarmos de tudo isto não terminam aqui.

DTN 639-640: "Os sacerdotes constataram que estavam diante de um dilema do qual nenhum sofisma os podia livrar. Se dissessem que o baptismo de João era do Céu, tornar-se-ia patente a sua incoerência. Cristo diria: Então por que não o crestes? João testificara de Cristo: 'Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do Mundo' João 1:29. Se os sacerdotes acreditassem no testemunho de João, como poderiam negar que Cristo era o Messias? Se declarassem a sua crença real, de que o ministério de João era dos homens, trariam sobre si mesmos uma tempestade de indignação; pois o povo acreditava que João era profeta."

Uma das importantes lições a retirar daqui será, realmente, o modo como poderemos utilizar os métodos de Cristo; eis o paralelismo a fazer em relação à citação mencionada anteriormente. Quando alguém ou algum líder que se declare adventista vos estiver a fazer passar por um mau bocado simplesmente por procurarem clarificar a verdade, perguntai-lhes de onde veio o Espírito da Profecia. Os escritos de Ellen White, de onde vieram eles? De Deus ou do Diabo? Se tal pessoa vos disser que vieram de Deus, podereis dirigi-los para qualquer uma das referências que apoiem a verdade que quereis promover. Se a pessoa disser que os escritos de Ellen White são do Diabo, essa pessoa estará a expor-se a ela própria. Esta é uma boa pergunta e foi isso que Jesus fez em circunstâncias semelhantes. Contudo, isto nem sempre resultará e existe uma outra lição valiosa que é vital que conheçamos e compreendamos.

Nas páginas introdutórias do Grande Conflito, a irmã White diz muito claramente que é a profetiza que veio no Espírito e poder de Elias. Ela diz que tereis que verificar, de uma maneira ou de outra, se o seu dom profético vem de Deus ou de Satanás. Lede agora estas palavras mais uma vez e vede quais as implicações de tudo isto.

"Se declarassem [os líderes apóstatas da Associação]a sua crença real, de que o ministério de João era dos homens, trariam sobre si mesmos uma tempestade de indignação; pois o povo acreditava que João era profeta."

Prezados amigos adventistas, temos que deixar de ser tão ingénuos! Não vedes vós que grande parte dos professos líderes da "Igreja" Adventista não acredita que Ellen White seja uma profetiza inspirada! Na realidade, eles procuram erradicá-la das doutrinas adventistas. De grande parte dos púlpitos, cada Sábado, os seus escritos ou são postos de lado, ou são activamente apresentados como lixo. Mas se pensais que estes líderes da Associação são suficientemente imprudentes ao declararem abertamente as suas crenças ("que o ministério de João Ellen White era é de procedência humana" e que " traz sobre eles uma grande indignação"), então precisareis realmente de colírio para os nossos olhos.

DTN 640: "Pela sua cobardia e indecisão tinham, em grande medida, perdido o respeito do povo, que se achava agora à Sua volta, divertido por ver derrotados estes homens orgulhosos, cheios de presunção."

À medida que esta apostasia avança abertamente dentro da estrutura adventista, a cobardice e indecisão também tomaram os seus lugares. Lembrar-vos-eis provavelmente quando começámos por expor as igrejas da "Celebração". A declaração oficial da Associação foi: "Esperemos e vejamos". Irmãos e irmãs, Jesus nunca "espera e vê" ao deparar-se com uma crise espiritual! Não vos sentis felizes por tal acontecer? Se os homens que se consideram os líderes desta organização têm medo de liderá-la, então deveriam certamente procurar uma outra posição algures, onde a sua influência pudesse ser minimizada. Uma vez que eles não farão tal coisa, permiti que vos diga como tal poderá ser feito. NÃO PERMITAIS QUE ELES SEJAM OS VOSSOS LÍDERES! Podereis colocar a culpa sobre os "líderes" e tal é correcto em certa medida, mas não é aí que pára a culpa. A decisão sobre quem VOS há-de liderar repousa firmemente sobre o poder de escolha que vos foi concedido por Deus. Sinto-me feliz por dizer que muitos já fizeram esta escolha e mostram-se determinados em apoiar aqueles líderes que apoiam a verdade tal como Cristo a apresentou.

E enquanto os líderes da Associação "esperam e vêem", Satanás continua a dividir e a conquistar. "Pela sua cobardia e indecisão tinham [têm], em grande medida, perdido o respeito do povo."

Antes de continuarmos, permiti que mencione uma outra verdade reveladora sobre esta decisão de "esperar e ver" relativamente às igrejas da "Celebração". Garrie Williams escreveu um manual com o título: "O Círculo do Poder da Trindade", que é o reflexo de um outro livro: "Visão 20/20", escrito por um pregador da "Celebração" que se dá pelo nome de Dale Galloway. A minha pesquisa e subsequente exposição deste manual mostraram claramente que "O Círculo do Poder da Trindade" era um manual que traria os serviços da "Celebração" para dentro das nossas igrejas. Muitos dos homens da Associação Adventista gostariam que acreditásseis que eles nada tiveram que ver com esta situação e nem sequer se mostraram suficientemente sábios para julgarem tais acontecimentos. Por isso, quiseram "esperar e ver". Mas irmãos e irmãs, eu possuo "O Círculo do Poder da Trindade" e NA CONTRACAPA ENCONTRA-SE ESCRITO "CONSELHO MUNDIAL DA Associação GERAL, INDIANAPOLIS, 1990, SEMINÁRIO N.º GCM 7274"!! Terá o Garrie Williams colocado estas palavras na contracapa do seu livro sem que ninguém da Associação Geral o soubesse? Eu considero que nós estamos a ser muito ingénuos! Leiamos a citação da contracapa, que nos fala sobre o autor.

"Garrie Williams é neozelandês de nascimento. Estudou na Austrália durante 15 anos, tendo-se mudado para os Estados Unidos em 1982. Serviu a Igreja Adventista do 7º Dia como pastor, evangelista, professor universitário e, desde 1985, como Director Ministerial da Associação de Oregon. O irmão Williams tem VIAJADO EXTENSIVAMENTE POR TODO O MUNDO e tem ensinado em seminários ministeriais cheios pelo Espírito, em VÁRIAS DIVISÕES. Em 1987, ele FUNDOU os pequenos grupos ministeriais conhecidos por Lares da Esperança e em 1989 e 1990 era já o presidente do PRIMEIRO pequeno grupo NACIONAL da Associação Adventista. Garrie Williams encontra-se bastante empenhado com a mensagem e a missão adventista do 7º dia e acredita que nós estamos vivendo no tempo do derramamento do Espírito Santo".

Esta citação diz muito! Revela que este homem tem estado bastante envolvido com a Associação Geral e que esta sabe, há anos, o que ele tem andado a fazer. Quando pensais nisso, vedes que os principais homens que têm invadido a "igreja" adventista do 7º dia com heresias nos anos recentes, vêm principalmente da Costa Oeste ou da Austrália. (E podereis tomar este facto da forma que mais desejardes, pois a situação aplica-se a todos os casos). Será surpreendente que o autor de "Visão 20/20" seja o proprietário e pastor de uma igreja dominical da "Celebração" que foi alugada pelos adventistas do 7º dia, adventistas esses que fundaram a primeira igreja da "Celebração" em Oregon e que passou a ser conhecida por "Igreja de Milwaukee"? Não será também uma coincidência o facto de os escritórios da Associação Adventista do 7º Dia do Noroeste do Pacífico se situarem a uns meros quatro quarteirões dessa mesma igreja?

À medida que continuamos a descobrir estas verdades perante os sinceros filhos de Deus, é maravilhoso verificar que muitos estão quebrando com o passado e procuram estudar, a fim de se mostrarem aprovados perante o Senhor. Amigos, a nossa salvação implica uma luta desesperada. Avançamos rapidamente para o centro dessa luta que se intensificará ao se aproximar do seu amargo fim. O inimigo não se renderá e não desistirá assim tão facilmente. Contudo, fico feliz por poder dizer que há apenas alguns anos só alguns conseguiam ver o que se estava a passar. Actualmente, existem muito mais pessoas nessa situação.

DTN 640, 641: "À medida, porém, que o sentimento popular se voltava a favor de Jesus, o ódio dos sacerdotes crescia para com Ele."

Encontramos o nosso próprio futuro nesta citação e eu acredito que o Senhor quer que façamos exactamente isso. Ele muitas vezes avisou os Seus discípulos sobre o que aconteceria e Ele gostaria que nós também nos apercebêssemos de que deveremos enfrentar o mesmo futuro. Muitos pensam que é do mundo que nos chegarão os maiores perigos mas agora sabemos que: "Temos muito mais a temer de dentro do que de fora. Os obstáculos à força e ao êxito são muito maiores da parte da própria igreja do que do mundo. Os incrédulos têm o direito de esperar que os que professam observar os mandamentos de Deus e ter a fé de Jesus, façam muito mais que qualquer outra classe para promover e honrar mediante a sua vida coerente, o seu exemplo piedoso, a sua influência activa, a causa que representam. Mas quantas vezes se têm os professos defensores da verdade demonstrado o maior entrave ao seu progresso! A incredulidade com que se contemporiza, as dúvidas expressas, as sombras acariciadas, animam a presença dos anjos maus, e abrem o caminho para execução dos ardis de Satanás." 1ME 122.

DTN 641: "Na Sua disputa com os rabis, Jesus não tinha o propósito de humilhar os Seus oponentes. Não se alegrava vendo-os em situação difícil. Tinha uma importante lição a ensinar."

Para os que pensam que é errado expormos desta maneira os líderes da Associação, fazemos esta pergunta: "O que significa 'Na Sua luta com os rabis…'?" Precisamos aprender rapidamente que: "A nossa obra é agressiva e, como soldados fiéis de Jesus, devemos levar a bandeira manchada de sangue até ao campo do inimigo. 'Pois não temos de lutar contra a carne e o sangue, e, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os poderes deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais da maldade nas regiões celestes.' Se consentirmos em baixar os braços, em depor a bandeira manchada de sangue, tornando-nos cativos e servos de Satanás, poderemos libertar-nos do conflito e do sofrimento. Mas esta paz só será conseguida através da perda de Cristo e do céu. Não poderemos aceitar tais condições. Que haja guerra, guerra, até ao fim da história da terra, em vez de paz ATRAVÉS DA APOSTASIA E DO PECADO".

Mas, por outro lado, Jesus não se mostrou extasiado pelo facto de a Sua obra os ir colocar em dificuldades. O Seu motivo era unicamente a salvação e Ele entristeceu-se por ver os seres humanos, por quem Ele iria morrer, serem humilhados. Existe um medo real que deveremos respeitar ¾ o de nos mostrarmos amargos para com os nossos inimigos. Jesus gostaria que nós não esquecêssemos que a vingança pertence somente ao Senhor, que nós devemos amar os nossos inimigos e não odiá-los. Não devemos tornar-nos "cegos, nem amargos". A nossa obra deverá ser a obra de Cristo. Isto significa que alguns de nós terão que fazer o desagradável trabalho de expor o que não está correcto, etc. Mas nós devemos fazer o nosso trabalho, para que muitas preciosas almas se possam decidir por Jesus ¾ E NÃO POR GOSTARMOS DE ENTERRAR OS OUTROS! A Bíblia ensina claramente que, qualquer pessoa que assuma as atitudes tomadas por Satanás, embora possa ser dotada em todas as outras áreas, perder-se-á. Especialmente à medida que a luta se for intensificando, necessitamos da graça de Deus nas nossas vidas para que o inimigo de todas as almas não seja capaz de incutir o seu carácter de ódio nos motivos porque lutamos. Tal como declara a citação mencionada (DTN 640-641), "o ódio dos sacerdotes [líderes apóstatas]crescia para com Ele [os seguidores de Cristo nestes últimos dias]" e nós necessitaremos totalmente do amor de Jesus a fim de conseguirmos manter puros os nossos motivos.

DTN 642: "Faziam grandes demonstrações de piedade, pretendiam estar a obedecer à lei de Deus, mas prestavam apenas uma falsa obediência. Os publicanos eram acusados e amaldiçoados pelos fariseus como incrédulos; mas mostraram pela sua fé e obras que iam para o reino do Céu antes daqueles homens cheios de justiça própria, aos quais tinha sido dada grande luz, mas cujas obras não correspondiam à sua demonstração de piedade."

Jesus procura ensinar-nos que não deveremos seguir o exemplo de tais homens, ou permitir que a sua influência nos dirija. Sim, todos nós somos seres humanos e todos nós erramos. Mas errar ocasionalmente ( e arrependermo-nos por isso) e zombar da inspiração são duas coisas completamente diferentes. Vós conheceis a diferença. O Senhor diz que não devemos permitir que os homens que não se interessam realmente (demonstrando-o pelas obras) pelas verdades que abraçámos e que amamos tenham qualquer tipo de influência sobre as nossas vidas.

DTN 644: "As Suas advertências, se não os despertassem para o arrependimento, selar-lhes-iam a condenação, e Ele queria que eles vissem que tinham trazido a ruína sobre si mesmos. Planeava mostrar-lhes a justiça de Deus retirando-lhes os privilégios nacionais, o que já começara e terminaria, não só com a destruição do seu templo e da sua cidade, mas na dispersão da nação."

Jesus veio para a igreja que Ele próprio criara. Ele escolhera-os de entre todas as outras nações, a fim de poder mostrar ao resto do mundo a Sua bondade. Esta igreja decidira percorrer o seu próprio caminho e, desse modo, representava mal a Cristo, ao mesmo tempo que professava ser a expressão de quem Ele era. Através dos anos, Jesus enviara a muitos a fim de avisar esta igreja sobre o desastre certo que sobre ela cairia, se não se arrependessem e reformassem. Estes líderes da igreja acabaram por recusar todos estes avisos. Então, Jesus veio em carne, a fim de fazer um último apelo mas foi rejeitado pelo povo que Lhe devia a sua própria existência.

Prezados amigos, conseguis vós ver a experiência paralela por que estamos a passar hoje? Se perguntardes a um qualquer professo adventista se estamos a viver nos últimos dias deste mundo, ele vos dirá que sim. Não vedes, então, que o aviso apresentado na mensagem a Laodiceia é a última mensagem e que o seu fim se encontra num futuro próximo? Oh! Como deveríamos perceber o tempo da nossa visitação! A última mensagem para o professo povo de Deus continua a ser dada. ESTAMOS a viver a realidade de Ezequiel, capítulo 8. Ezequiel, capitulo 9, encontra-se já ao virar da esquina e o que estamos nós a fazer? Tal como revelam estas afirmações, a principal razão porque todo o sistema adventista se desmoronará será o facto de os líderes apóstatas se recusarem a ser guiados pelo Espírito Santo.

Não somente por isto mas, em certa medida, nós continuaremos a perder os nossos privilégios nacionais e a dispersão da "nação" adventista terá como causa estes professores adventistas auto-destrutivos.

A frase seguinte do Desejado de Todas as Nações é assustadora: as implicações e as lições a serem aplicadas são extremamente importantes para finalmente compreendermos qual a nossa situação.

DTN 644: "Os ouvintes reconheceram a advertência."

Prezados e preciosos amigos adventistas, por favor entendam que nós estamos a lidar com líderes apóstatas, que sabem perfeitamente o que estão a fazer. Eles CONHECEM E RECONHECEM ESTE AVISO. Contudo, eles mostram-se determinados em levar até ao fim os seus planos. Posso dizer-vos com uma consciência clara e completamente cristã que estes planos não mudaram e que estes líderes apóstatas procuram passar à frente de tudo e de todos. Por favor, não vos deixais enganar com uma declaração ocasional estrategicamente bem colocada. Estas declarações ocasionais ou artigos são uma de duas coisas. Ou um José e um Nicodemos estão a tentar evitar que tudo se desmorone, ou então procuram enganar-vos sobre as intenções ou direcção dos líderes apóstatas. Não vos deixais enganar por aqueles que vêm até vós com roupas usadas e pães bolorentos. Necessitamos de orar, com fervor, pelo colírio do discernimento. O nosso amoroso Jesus ajudar-nos-á se somente fizermos a nossa parte. Ele morreu por nós para que pudéssemos ser salvos e apresenta-nos estas verdades a fim de não sermos enganados. Podemos ter errado no passado. Podemos, por vezes, sentir que estamos a lutar por aprender e compreender. Mas corramos para Jesus pois, "em Cristo, o coração culpado encontra alívio. Ele é um seguro fundamento. TODOS OS QUE DELE DEPENDEREM, ESTARÃO EM PERFEITA SEGURANÇA". "Cair sobre a Rocha e despedaçar-se, é renunciar à nossa própria justiça e ir a Cristo com a humildade de uma criança, arrependidos das nossas transgressões e crendo no Seu amor perdoador. E assim também é pela fé e pela obediência que edificamos sobre Cristo como o nosso fundamento." DTN 646.

DTN 647: "E o que foi que destruiu os judeus?"

Espero que ainda estejamos à procura dos paralelismos proféticos, ao lermos a resposta inspirada a esta questão muito importante:

DTN 647-648: "Os homens decidiram opor-se a Deus e tudo quanto teria servido para a sua salvação tornou-se uma destruição. Tudo quanto Deus ordenara para a vida, eles acharam para a morte. Na crucifixão de Cristo pelos judeus, estava envolvida a destruição de Jerusalém. O sangue derramado sobre o Calvário foi o peso que os mergulhou na ruína para este mundo e para o mundo por vir. . . .

"Mediante muitas ilustrações e repetidas advertências, Jesus mostrou qual seria o resultado, para os israelitas, de rejeitar o Filho de Deus. Nestas palavras, dirigia-Se a todos, em todos os séculos, que se recusam a recebê-l'O como seu Redentor. Todas as advertências são para eles. O templo profanado, o filho desobediente, os falsos lavradores, os edificadores desdenhosos, têm o seu paralelo na experiência de todo o pecador. Caso não se arrependam, sobrevir-lhes-á a condenação que eles próprios predisseram."

É importante, amigos, que compreendamos o que constitui a verdadeira igreja de Deus. Afinal, a grande controvérsia gira à volta de quê? Sim, quem ireis vós adorar? Nós necessitamos de seguir a Deus e à Sua Palavra e não a substituir pelas opiniões dos homens, ou pelos votos dos comités populares. Não existe nenhuma legislação democrática estabelecida pela igreja professa sobre como conseguirmos admissão no reino de Deus. Eu garanto-vos, baseado na Palavra de Deus que, ao nos encontrarmos perante a barra do tribunal de Deus, Ele não se dobrará à autoridade da Comissão da Associação.

Admito que os líderes adventistas apóstatas e os seus seguidores formavam uma igreja. No livro de Apocalipse fala-se tanto da igreja verdadeira como desta outra igreja. Deste modo, ficaremos a conhecer o que acontecerá com ambas nesta terra.

Apocalipse 3:8-9, 12: "Conheço as tuas obras (eis que tenho posto diante de ti uma porta aberta, que ninguém pode fechar), que tens pouca força, entretanto guardaste a minha palavra e não negaste o meu nome. Eis que farei aos da sinagoga de Satanás, aos que se dizem judeus, e não o são, mas mentem, eis que farei que venham, e adorem prostrados aos teus pés, e saibam que eu te amo.

"A quem vencer, eu o farei coluna no templo do meu Deus, donde jamais sairá; e escreverei sobre ele o nome do meu Deus, e o nome da cidade do meu Deus, a nova Jerusalém, que desce do céu, da parte do meu Deus, e também o meu novo nome."

Todos aqueles professos adventistas que crêem na doutrina da "Nova Teologia"; todos os professos adventistas que pregam e crêem que não precisamos de vencer o pecado mas que, mesmo assim, conseguiremos entrar no céu porque, afinal, Cristo compreende; todos essas pobres almas enganadas têm uma igreja. Trata-se, no entanto, da sinagoga de Satanás.

Irmãos e irmãs, não vos deixeis enganar! Jesus realmente compreende e não é Ele que se mostra confuso. Somos nós! Lede a vossa Bíblia, pois ela diz claramente que, quem vencer, lhe será dada a coroa da vida. O que precisamos de fazer é deixarmos de amar o pecado e passarmos a amar Jesus o suficiente, a fim de compreendermos e acreditarmos, através de um conhecimento experimental, que servimos Alguém que tudo sabe, que a todos ama e que é TODO PODEROSO. Um Deus que irá realmente terminar a obra que começou em TODAS AS ALMAS QUE O DESEJEM. Possamos nós, pobres pecadores, adoptar a humildade do nosso Salvador crucificado e aprender estas sagradas verdades.

 

 IR

HOME