Make your own free website on Tripod.com

MENSAGENS FINAIS

QUEM SOMOS

NISTO CREMOS

ESTUDOS

JUDICIAIS

CARTAS

 Trindade: Vinho de Babilônia com Sabor Superbom para Enganar Adventista

Elpídio da Cruz Silva

 

Os dez mandamentos, a lei de Deus, são o mais eloqüente testemunho contra a Doutrina da Trindade. Mas, como a lei de Deus testemunha contra a Trindade? Para responder a esta pergunta, basta conhecer quem é o Autor dos dez mandamentos.

Para os trinitarianos, o autor dos dez mandamentos é "uma unidade de três pessoas coeternas", porque, para os trinitarianistas, Deus é o Pai, o Filho e o Espírito Santo. Assim, para os que acreditam no dogma da trindade, o autor dos dez mandamentos não tem rosto, não tem nome, e é alguma coisa impessoal e abstrata.

Por outro lado, para os que rejeitam o dogma da trindade e aceitam o testemunho da Bíblia e do Espírito de Profecia, o autor da lei moral, não é "uma unidade de três pessoas coeternas", o Pai, o filho e o Espírito Santo. Sim, os que deixaram para trás o dogma da trindade, sabem que o Pai Eterno é o autor da lei moral.

"A morte de Cristo proclamou a justiça da lei de Seu Pai em castigar o transgressor, no fato de Ele próprio consentir  em sofrer a pena da lei, a fim de salvar o homem caído de sua maldição." -- Testemunhos Seletos, Vol. 1, pág. 219.

"Ele estava sofrendo em lugar do homem, como transgressor da lei do Pai." - Testemunhos Seletos, Vol. 1, pág. 222.    

Em conflito com a vontade do Pai

Quando no Céu foi transgredida pela primeira vez a lei de Deus, bem sabemos que não foi transgredida a lei de uma trindade e, sim, transgredida a lei do Pai.

O Filho de Deus, já no próprio Céu, começa seu trabalho de intercessor quando tenta mostrar aos anjos em rebelião, o caráter imutável da lei de seu Pai. Os anjos em rebelião contra Deus, rejeitam todo argumento do Pai e de seu Filho e, por fim, acabam expulsos do Céu.

Satanás bem cedo entendeu a gravidade de se quebrar a lei de Deus e se lançou ao trabalho de fazer o homem recém criado desobedecer seu Criador. Desse modo, o conflito que o inimigo iniciou no Céu, estendeu-se para a Terra.

A base deste conflito é a desobediência à lei de Deus. "A inimizade de Satanás à lei de Deus, compeliu-o a fazer guerra contra cada preceito do Decálogo." Patriarcas e Profetas, pág. 337.  

O Acusador levou os homens a atentarem contra cada preceito da lei de Deus, ao mesmo tempo que imaginam estarem sendo fiéis a ela. Ele bem sabia que a quebra de um dos dez preceitos faz com que o transgressor se torne culpado como se tivesse quebrado todos.  

"Qualquer que guardar toda a lei, e tropeçar em um só ponto, tornou-se culpado de todos." Tiago 2:10.  

O Pai da Mentira, durante o decorrer da história, tem usado de toda estratégia para levar os homens a pecar contra Deus. Nenhum preceito do Decálogo ele deixou incólume. Os adventistas do sétimo dia conhecem muito bem as armadilhas do inimigo. Porém, os adventistas do sétimo dia subestimaram a sagacidade de seu adversário e inocentemente caíram em sua rede.  

Quando a IASD abandonou a simplicidade da Bíblia e a clareza do Espírito de Profecia, indo buscar no catolicismo um pouco do vinho de sua prostituição, ela se juntou a todos aqueles que, consciente ou inconscientemente, pisam a lei de Deus. A lei de Deus é a lei do Pai. Não é a lei de um deus triúno. Não é a lei de uma trindade.  

No Céu foi o próprio Pai que instituiu sua lei. Na terra, também foi o mesmo Pai que deu sua lei a Moisés.  

"Para deixá-los sem escusas, o próprio Senhor condescendeu em descer sobre o monte Sinai, envolto em glória e circundado por Seus anjos, e na mais sublime e terrível maneira fez conhecida sua lei dos Dez Mandamentos." História da Redenção, pág. 148.

Foi o Pai que, com Seu dedo, escreveu em tábuas de pedra os Dez Mandamentos. É o Pai, o autor da lei. Não foram as mãos de uma trindade que escreveram na pedra os Dez Mandamentos. Eles não foram escritos a seis mãos e trinta dedos!

O homem hoje está alienado do Pai e não de uma tri-unidade, ou de um deus triúno. Jesus Cristo veio religar o homem ao Pai e não a uma trindade. "Ninguém vem ao Pai, se não por Mim." O ofendido foi o Pai e não uma trindade.

Caso a ofensa tivesse sido feita a uma trindade, Cristo como participante dela não poderia ser intermediário dEle para consigo mesmo. Ele, como co-autor da lei, também seria parte ofendida e, por isso, faria uma mediação defeituosa.  

 

Cristo, sempre submisso ao Pai

O próprio Filho de Deus se sujeitou à lei de Seu Pai tanto antes como após a encarnação. Mesmo julgando não ser usurpação o ser igual ao Pai, Ele se humilha ao ponto de declarar ao universo que só o Pai é Deus.

O sentimento Dele foi completamente diverso do sentimento que houve em Satanás. Humilhado com a humanidade, o Filho de Deus submete-se inteiramente à lei de seu Pai. "Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor; do mesmo modo que eu tenho guardado os mandamentos de meu Pai, e permaneço no seu amor."  João 15:10.

A lei é do Pai. O Pai é o ofendido. Cristo é o sacrifício do Pai para salvar o mundo. A Doutrina da Trindade joga no Pai uma nuvem de obscuridade que impede o homem enxergar a grandeza do Seu amor pela humanidade.

Deus nos fez pais para que o Universo pudesse compreender a grandeza de Seu amor. Nós, dependendo da situação, na sanidade de nossa mente, até somos capazes de dar nossa vida por alguém a quem amamos. Dar nossa vida por um inimigo, é algo que talvez nenhum homem seja capaz de fazer. Deus foi muito além disto, Ele deu a vida de seu Ùnico Filho para salvar um inimigo. Isto, ser humano nenhum jamais faria!

Quando alguém aceita a Doutrina da Trindade, o primeiro mandamento da lei de Deus é flagrantemente quebrado. O que diz o primeiro mandamento? "Não terás outros deuses diante de Mim."  Êxodo 20:3.

Quem é Deus, segundo a Bíblia e o Espírito de Profecia? "Para nós há um só Deus, o Pai..." I Coríntios 8:6;

"'Não terás outros deuses diante de Mim. Êxodo 20:3' Jeová, o ser eterno, existente por Si mesmo, incriado, sendo o originador e mantenedor de todas as coisas, é o único que tem direito a reverência e cultos supremos." Patriarcas e Profetas, pág. 305.

Posto que, sem sombra de dúvidas, a Bíblia e o Espírito de Profecia apresentam o Pai como único Deus, os adventistas do sétimo dia que aceitam a Doutrina da Trindade, juntam-se a todas as outras denominações religiosas que estão em rebelião contra a lei de Deus.

O adventista do sétimo dia que crê como sua igreja ensina que "há um só Deus, Pai, Filho e Espírito Santo", quebra o primeiro mandamento da lei do Pai e se torna culpado de todos os outros.  

 

A verdade bíblica sobre o Pai

Para os que hão de herdar a vida eterna, a verdade é a verdade bíblica. A verdade bíblica nos diz que há um só Deus, o Pai, e um só Senhor, Jesus Cristo, o Filho do Pai, o sacrifício do Pai, a revelação suprema do amor do Pai.

1. É diante do Pai (não da trindade), que Jesus intercede por nós:
"Portanto, todo aquele que me confessar diante dos homens, também eu o confessarei diante de meu Pai, que está nos céus; mas aquele que me negar diante dos homens, também eu o negarei diante de meu Pai, que está nos céus." Mateus 10:32-33.

2. Se não nos submetermos à vontade do Pai (não da trindade!), Cristo não nos poderá levar para o Céu:
"Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus." Mateus 7:21.

3. É a submissão ao Pai (não à trindade), que nos faz membros da família celestial:
"Porque qualquer que fizer a vontade de
meu Pai celeste, esse é meu irmão, irmã e mãe." Mateus 12:50.

4. Será em nome do Pai (não da trindade!), que Jesus nos dará boas-vindas naquele dia:
"Então, dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai! Entrai na posse do reino que vos está preparado desde a fundação do mundo. Mateus 25:34.

5. É para a casa do Pai (não da trindade!) que nós iremos:
"Na casa de meu Pai há muitas moradas. Se assim não fora, eu vo-lo teria dito. Pois vou preparar-vos lugar. João 14:2.

6. Sim, o reino para onde Jesus Cristo nos irá levar é o reino de Seu Pai (não da trindade):
"E digo-vos que, desta hora em diante, não beberei deste fruto da videira, até aquele dia em que o hei de beber, novo, convosco no reino de
meu Pai." Mateus 26:29

7. Não é à toa que Jesus se apresenta à Igreja de Laodicéia como "o princípio da criação de Deus" (Apocalipse 3:14). E promete:
"Ao vencedor, dar-lhe-ei sentar-se comigo no meu trono, assim como também eu venci e me sentei com meu Pai no seu trono." Apocalipse 3:21.
Elpídio da Cruz Silva, adventista há mais de 20 anos. [Edição: Robson Ramos.]

 

HOME